Bazaar e Fedora 8: a saga

2008/04/29

Seria bom se as coisas simples da vida fossem simples, não é mesmo?

Ontem, sexta passada e quinta passada, no meio de outras tarefas “urgentes”, tentava desesperadamente conseguir instalar o Bazaar na minha VM de desenvolvimento, um Fedora 8 todinho configurado.

Para azar da minha pessoa, o guia simples e rápido de instalação do Bazaar não funcionava para minha distribuição Linux. Na verdade, funciona. Porém, é instalada uma versão tão antiga (0.91!) que o formato do banco de dados já se tornou incompatível.

#yum info bzr




...




Available Packages
Name     : bzr
Arch     : i386
Version  : <font color="#ff0000">0.91</font>
...

O pior, no entanto, foi tentar encontrar uma solução para o problema. Fiz mil e uma pesquisas com palavras-chave que nem imaginava que seria capaz de formular. E nada. A princípio minha idéia era apenas atualizar a lista de pacotes do repositório gerenciado pelo yum, o gerenciador de pacotes oficial do Fedora. Entre minhas buscas, encontrei os seguintes itens:

Enfim, a coisa não estava saindo do lugar. E o cronograma apertando até o dia final. Até que decidi usar o caminho mais rápido e pentelho: perguntar para quem entende do assunto. A resposta foi simples e direta:

_- Por que você não instala direto dos fontes?_

Uia! E não é que é mais simples, mesmo?

#wget https://launchpad.net/bzr/1.3/1.3.1/+download/bzr-1.3.1.tar.gz
#tar -zxvf bzr-1.3.1.tar.gz /* ele teve que me explicar esse comando singelo */
#cd bzr-1.3.1
#cat INSTALL




Installation
------------

When upgrading using setup.py, it is recommended that you first delete the
bzrlib directory from the install target.

To install bzr as a user, run

  python setup.py install --home ~

To install system-wide, run (as root)

  python setup.py install




#python setup.py install

E foi isso! É a segunda vez que tento fazer algo simples no Linux e me dou mal. Com certeza os dias futuros serão melhores. Mas me bate aquela sensação que as coisas poderiam já estar em um nível mais fácil de se mexer. Opinião pessoal.

Facebook | Twitter | Linkedin | Google