Let Me Be Frank

Caloni, February 2, 2019

Fato curioso: este curta produzido e protagonizado por Kevin Spacey soma três minutos de duração e mais frases brilhantes do que toda a última temporada de House of Cards, com duração aproximada de 400 minutos, protagonizada por Claire Underwood. Esta temporada da série foi a única em que a protagonista era uma mulher. Coincidência?

Se você se ofendeu com o parágrafo inicial deste texto, que destaca o gênero de uma personagem como algo determinante na qualidade de um roteiro, percebe como é fácil brincar com a realidade. Basta colocar em relevo qualquer dado irrelevante e torná-lo de repente o detalhe mais importante de toda uma trama. Foi o que aconteceu recentemente com Kevin Spacey, retirado da produção e elenco da série abruptamente após ser colocado sob os holofotes um escândalo de assédio do passado e aos poucos surgir críticas do próprio elenco de House of Cards e da equipe sobre a forma do ator de se relacionar durante a produção.

E de repente esse foi o único detalhe de toda a existência do produtor/ator/personagem que fez com que a Netflix, produtora e distribuidora da série, cancelasse seu contrato e retirasse qualquer menção ao ator no roteiro para a última temporada, que termina uma sequência de momentos inspiradíssimos sobre a política norte-americana e termina em uma história da carochinha sobre como seria se Hillary Clinton tivesse vencido as eleições contra Donald Trump.

O curioso é como a vida imita a arte, e no caso como o personagem de Spacey se esquivou tantas vezes na série de coisas que ele de fato fez, e agora luta na vida real para se esquivar de coisas que ou ele não fez ou não foi provado ainda. O resultado é um texto sucinto em que o ator brinca com referências entre a vida real e a ficção, deixando mais que claro que ele não parece se deixar abater nem em um, onde é processado por assédio, e nem em outro, onde ele está morto (ops, spoiler). Chegando ao ápice do brilhantismo, ele exclama: “apesar de tudo, apesar de minha própria morte… eu me sinto surpreendentemente bem”.

Segue o roteiro completo com as instigantes frases. O vídeo você acha rapidamente na internet procurando pelo título.

I know what you want. Oh sure they may have tried to separate us but what we have is too strong – is too powerful.

I mean after all we shared everything you and I.

I told you my deepest darkest secrets.

I showed you exactly what people are capable of.

I shocked you with my honesty, but mostly I challenged you and made you think. And you trusted me even though you knew you shouldn’t.

So we’re not done no matter what anyone says and besides I know what you want. You want me back.

Of course some believed everything and I’ve just been waiting with bated breath to hear me confess it all.

They’re just dying to have me declare that everything said is true and that I got what I deserved.

Wouldn’t it be easy if it was all so simple?

Only you and I both know it’s never that simple not in politics and not in life.

But you wouldn’t believe the worst without evidence would you?

You wouldn’t rush to judgment without facts, would you?

Did you?

No, not you. You’re smarter than that.

Anyway all this presumption made for such an unsatisfying ending and to think it could have been such a memorable send-off.

I mean if you and I’ve learned nothing else these past years it’s that in life and art nothing should be off the table. We weren’t afraid not of what we said, not of what we did, and we’re still not afraid because I can promise you this.

If I didn’t pay the price for the things we both know I did do. I’m certainly not gonna pay the price for the things I didn’t do.

Oh well of course they’re gonna say I’m being disrespectful not playing by the rules like I ever played by anyone’s rules before. I never did and you loved it.

Anyhow despite all the poppycock, the animosity, the headlines, the impeachment without a trial – despite everything – despite even my own death.

I feel surprisingly good.

And my confidence grows each day that’s soon enough you will know the full truth.

Wait a minute, now that I think of it, you never actually saw me die, did you?

Conclusions can be so deceiving. Miss me?

Let Me Be Frank ● Let Me Be Frank. EUA, 2018. Com Kevin Spacey como Frank Underwood. ● Nota: 5/5. Categoria: blog. Publicado em 2019-02-02. Texto escrito por Caloni. Quer comentar?