Cafés

2019-07-19, 3776 words, 18 minutes

2020-01-07 Café Gourmet do Sul de Minas! O nome Café Gourmet parece ruim hoje em dia, né? Eu te entendo, é ruim mesmo. O mercado estragou a semântica das qualidades dos alimentos assim como a política aniquila as expressões de julgamento de valor. Mas este é um arábica mineiro doce, leve e com aroma e sabor quase imperceptível. Não é amargo, os grãos são bonitos, e passado na Aeropress com 18g e tempo de espera de cerca de 30s ele é quase esquecível. Mas agradável.
2019-12-29 Tentando aumentar o tempo de espera entre 40 e 50s com 15 a 18g de pó, mas o resultado é que o amargor fica mais forte.
2019-12-22 Hoje coloquei 18g e 40s de espera e ficou com um amargor mais intenso.
2019-12-21 Fazia um bom tempo desse o último café Sumatra, da Starbucks. Me decepciono com as cafeterias brasileiras da franquia sempre venderem pacotes velhos e próximos da validade (esse vence logo depois do Natal), mas o sabor picante e o amargor robusto desse café de corpo médio pra forte compensa a idade avançada dos grãos. Moído na hora (fino), 15g para 250ml, passado em Aeropress convencional a 85 graus com pausa para mexer após 30s de infusão.
2019-12-07 Pike Place com 30s agora de espera para mexer de novo, com 16g ele funciona muito bem. Talvez seja uma boa experimentar essa técnica com os cafés mais baratos, mas pelo rendimento, posso também passar a experimentar outros cafezes da Starbucks.
2019-12-06 Café do Toninho, 16g, mexendo antes e depois de 30s na Aeropress, o resultado fica bem mais bruto. Todo o sabor toma conta da boca, uma ácidez áspera, o doce diminui frente aos outros sabores, e não sei se é algo bom. Lembra café para machos, mas sem o queimado, apenas um amargo atordoante junto do doce.
2019-12-04 "Parece cocaína, mas é só" Pike Place, o café mais viciante da Starbucks. É difícil achá-lo novo em SP, essa embalagem era de maio, mas ao passar 20g para 300ml em moagem de coador na Aeropress e dar 20 segundos de descanso entre uma mexida e outra antes de baixar o êmbolo o resultado é um aroma e um sabor que lá pelo terceiro gole apenas me faz lembrar: "parece cocaína..."
2019-12-04 Testando Pike Place com 20g (300ml), mexendo antes e depois de 20s de espera na Aeropress. Sabor e aromas frutados com leve toque de amargor em corpo quase fraco. E uma cocaína pura.
2019-12-04 Voltei pros 15g, mas mexi duas vezes e acredito que a temperatura da água tenha passado bem um pouquinho. O amargo intensificou, mas acho que era só a pasta de dente.
2019-12-03 Coloquei 18g do Café do Toninho e o doce continua, mas agora com um amargo mais presente. No entanto, o sabor fica mais intenso e ácido.
2019-12-02 Fiz novamente o Toninho com 15g na Aeropress e a doçura sem amargor continua (e aquele gostinho de pó mineiro), o que me fez pensar que é possível tentar mais pó, mas mantendo a temperatura e a rapidez com que se baixa o êmbolo. Talvez variar um desses três elementos (pó, temperatura, tempo) de cada vez e olhar os resultados. Há muito pó ainda para testar.
2019-11-28 Aê, sr. "Ain, só bebo 100% Arábica", esse café do Toninho, gente boa, é um blend com o odiado Conilon, que tem cheiro de mato mineiro, sim, é moído como se fosse turco e 18g rende uma bebida doce com taninos em uma Aeropress (método padrão, 5s mexendo, 30s descendo êmbolo). E a embalagem é tão tosca que remete a tempos pré-micro-colheita e outras bichisses.
2019-11-19 Fui no Suplicy da Vila Olímpia tomar este blend de Mundo Novo e Icatu Amarelo da fazenda Santa Alina/Pinhal da região de Alta Mogiana (Sul de Minas). Experimentei o equilibrado coado, meio sem graça e sem acidez, e acabei tomando também o do meu amigo que veio comigo e saiu às pressas, um feito em um método que lembra um laboratório que popularmente parece ser conhecido como o Método do Sifão, que demora uns três minutos e faz a passagem da água por evaporação e depois desce. É complicado, mas o resultado é que ele extraiu mais sabor do mesmo café coado, dando um resultado com corpo para mais médio e de fato você se lembra do que o rótulo diz: frutado e notas amendoadas. Sim, acabei levando para casa e experimentando na Aeropress, que a barista do local me sugeriu usar 18g para 200ml e uma moagem entre coado e francesa com uns 3 a 4 minutos de descanso. Eu fiz, mas não gostei, prefiri um pouco menos de pó e a passagem do manual. Bom, mas não sensacional.
2019-10-30 Blend Campo Místico (50%) com Café Bravo de mercado (50%). Misturei os grãos e coloquei para moer para filtro, passando na Aeropress 27g para 350ml. A adstringência que gostei no Bravo diminuiu a acidez exagerada do Campo, mas surgiram sabores secundários que não harmonizaram entre eles.
2019-10-27 O Campo Místico Arábica da região de Bueno Brandão pode ser encontrado em um café próximo do Shopping Ibirapuera em São Paulo. É ácido além do que aprecio passado na Aeropress, mas ele é equilibrado no sabor frutado que se propõe. Bom para tomar com doces de acidez equiparável, eu tomei com pão com manteiga e também ficou apreciável.
2019-09-29 Este café Bravo se acha em mercado em grãos, é blend 100% arábica de três varietais que puxam pra baunilha e chocolate, pouco aromático e nada ácido.
2019-08-30 Pilão em grãos é o segundo café de mercado acessível que compro para moer em casa e descubro que brasileiro não sabe fazer café, mesmo. É só moer a proporção certa, passar pelo tempo certo pela aeropress e pronto: um café razoável com bom custo/benefício.
2019-07-28 Coffee Roasters, segundo café que trouxe de Poços, Bourbon produzido em Botelhos tem menos gosto de Minas, pois é selecionado. Ele possui aquela força de café bem torrado, e portanto devo usar menos pó na próxima passada.
2019-07-01 Cafeteria gourmet na parte de cima do mercado municipal de Poços de Caldas imita a tendência atual de ter vários métodos de extração, como Hario V60 (coado) e Aeropress (coado com brutalidade) e até a brasileira Pressca! Provei dois espresso deles: Bourbon Amarelo e Caujaí Vermelho. O Bourbon possui um pouco de acidez e final semi-amargo em corpo suave, enquanto o Caujaí é menos ácido, mais doce e com um corpo mais equilibrado. Trouxe 250g do Bourbon para dar uma olhada mais de perto.
2019-06-17 O Expresso Gourmet (sic) 3 Corações me surpreende: ótimo custo/benefício (1 kg por 40 taoqueis); grãos meio quebradiços, mas sem muitos defeitos. Aroma presente e sabor amadeirado, corpo médio/fraco sem acidez. Doce sem ser enjoativo.
2019-05-20 Acho que meu café Loretto anda com os grãos muito feios. O sabor tem mudado um pouco também, sem tantas nuances.
2019-05-17 O copinho americano cheio com um dedo de espaço da borda contém 200 ml. Isso quer dizer que a proporção de pó deve ser pouco menos que a metade da caneca BF (250 ml). Mas coloquei 45g e ficou um tanto forte demais (deveria ser 37.5).
2019-05-16 A caneca da BitForge cheia com espaço de um dedo da borda contém 250 ml. A caneca da Warner cheia com espaço de um dedo ocupa 400 ml. Isso quer dizer que a proporção de pó usual de 20 a 25 g deve sofrer uma inflação de 400/250=1.6, ou um e meio pra facilitar. Ou seja, no mínimo 30 g e no "máximo" 47 g (25 mais metade). Coloquei 42 g nessa tentativa com moagem de 3. Demora um tempo maior para colocar toda a água na aeropress do que baixar o êmbolo na caneca da BitForge. O barulho do final ficou meio prematuro. O resultado é um bourbon que pra variar não é amargo, mas extrai o amargor típico do café junto de um abraço doce, um tanto oleoso e inebriante. Tomado solo é uma boa forma de começar o dia observando o diálogo dos sabores do café e os diálogos do código fonte sendo analisado.
2019-04-28 Café do vovô Joel lá de Santa Rita Sul de Minas é presente do meu amigo. Eles colhem e torram manualmente. O gosto cítrico em corpo leve é surpreendente. Nunca provei nada assim. Bom para alternar com o Loretto.
2019-04-28 Loretto de volta no meu moedor. Bourbon, que é doce, corpo leve pra médio, retrogosto esquecível, mas com uma leve lembrança que dá vontade de passar mais uma caneca.
2019-04-20 Starbucks Pike Place em prensa francesa com o café mais equilibrado e delicioso da Starbucks. Sua torra é linda, brilhante. Seu gosto é de um amargo que abraça devagar e logo solta. Suas notas aromáticas são simples, como deve ser o café da manhã.
2019-03-25 Espresso Lor do St. Marchet do Ibirapuera é um pouco ácido com sabores mais cítricos e um corpo médio para leve. Bonita xicrinha.
2019-02-24 Loretto blend caseiro entre espresso arábica e bourbon na prensa francesa me impressionou pela delicadeza das notas doces, que por contraste torna o 100% espresso um café de quem dá o toba.
2019-02-10 Loretto Premium Espresso é um dos melhores 100% arábica com ótimo custo/benefício do mercado. Os caras torran os grãos a semanas de vender no Mercado Livre. Essa é a versão adocicada e ligeiramente mais intensa que o Bourbon, ótimo para fazer um espresso. Mas como eu só tenho aeropress quebra o galho.
2019-01-23 E o Cold Brew de casa, feito com o Loretto Bourbon, é extraordinariamente excelente; você começa a sentir vários sabores que vão se alterando conforme o gelo derrete e torna a bebida mais suave.
2019-01-23 Dito isto, o Cold Brew da Starbucks é surpreendentemente bom e absurdamente caro. Mais uma bebida à prova de incompetência dos funcionários.
2019-01-23 Cold Brew não é deixar o café esfriar; é um método em que se deixa o pó moído grosso (prensa francesa) em contato com água fria na proporção de 1 para 7; deixe na geladeira por 16 a 20 horas e coe; beber até 3 dias servido com pedras de gelo.
2019-01-04 Orfeu Intenso, da Fazenda Sertãozinho Sul de Minas, 100% arábica que tem aquela bichisse característica dos vinhos chabiscleitons em níveis aceitáveis para se tornar elegante; corpo médio e boas intenções, merece ser degustado puro e sem açúcar, com doce indelével fraco.
2018-12-30 Até Cafés Reserva são ruins nos EUA, como este WP Reserve pode comprovar; um gosto aguado (mesmo com menos água) e um filtro de papel para coar interno (prático); trouxe para cá para testar na Aeropress (não funcionou).
2018-12-13 Starbucks Brazil Blend é muito melhor feito em casa na minha aeropress entre 25 e 35g, temperatura pré-fervura. Seu amargor é típico das safras nacionais com torra forte, que se afasta do bordô famoso nas zoropa, e se aproxima dos cafés queimados das esquinas do centro.
2018-10-04 Chá Verde feito como na Rússia. Peguei do [manual do Linux](ftp://ycn.franken.de/pub/Linux/docs/HOWTO/Russian-Tea-HOWTO-1.html) os passos para a criação da famosa *zavarka*, mas em vez de chá preto o chá verde japonês. O resultado da proporção 1 para 5 (1: folhas; 5: água) com água completamente fervida foi bombástico. Um soco no estômago; cheguei a vomitar. Isso misturando depois o resultado com mais o dobro de água. Recomendo moderação e pouco tempo de infusão.
2018-09-30 Segredo da Terra finalmente ajustado; tem tons amadeirados e gourmetizados pra quem gosta de bixisse. 24g de moagem fina passada na aeropress por 1.5 min.
2018-09-22 O café Três Corações Rituais Sul de Minas é um 100 Arábica que vem moído e vende em Floripa para emergências. Possui pouco corpo e uma doçura misturada com aquele enjoo dos cafés gourmets.
2018-09-21 Segredo da Terra é um café artesanal de Alto Mogiana empacotado em grãos que possui um amargor acentuado em corpo médio mesmo com o frescor de um gourmet.
2018-09-14 Bourbon são fracos demais? Esse Loretto possui um equilíbrio entre amargor, doçura e corpo imbatíveis. Seu doce desagradará o brasileiro médio, que gosta de um soco no estômago. Passados 23g em moagem fina por 1.5 min na Aeropress com 350ml de água próxima de ferver.
2018-09-13 Acabei de fazer o café seguindo as dicas do Reddit (que li novamente na insônia). O Loretto ficou absurdamente melhor apenas seguindo algumas dicas: proporção 1:15 do pó, coagem mais fina para menos tempo em contato com a água, deixando a água mais próxima da fervura (o [colar de pérolas](https://pt.m.wikihow.com/Verificar-a-Temperatura-da-%C3%81gua-Sem-um-Term%C3%B4metro?amp=1)). O sabor do café ficou mais presente (menos aguado) com dez segundos mexendo, um minuto e meio em contato com a água desde o começo e trinta segundos baixando o êmbolo.
2018-08-03 Fazenda Bom Destino Padre Fialho MG. Essa foi a última safra que adquiri antes de suspender as entregas do Grão Gourmet. Bom café. Docinho na boca (mesmo sem açúcar) e que requer pouco pó para quem não gosta daquele extra-forte do mercado.
2018-06-25 Café Grão Gourmet de Mantiqueira de Minas. Chocolate com um pouco de veludo e avelã, é fácil de beber, mas ao mesmo tempo encorpado.
2018-05-22 Loretto Expresso é o café com gosto de café do Espírito Santo do Pinhal, no limite entre Minas Gerais e São Paulo. Amargo e forte na medida certa, você ajusta com a quantidade de pó. O corpo é médio pra forte. Para mim 20g em um aeropress é viciante porque é leve, mas para os que gostam de mais força recomendo 30g.
2018-05-16 Esmeril Chapadão de Ferro. Chapadão é um bom nome para este café insosso, mas gostoso. Estava quase acabando o pacote e não sabia muito o que dizer desse. É um café, sem dúvida. E eu recomendo moído na hora com 23g na Aeropress. Não importa muito o nível da moagem. Esquente a água e seja feliz.
2018-04-25 Grão Gourmet Fazenda Colinas Luminária MG. Cítrico, bem cítrico. Como limão. E tem um corpo leve para médio, um doce agradável, mas que não elimina aquele amarguinho característico de um café afetivamente relaxante. 21g em moagem média na aeropress.
2018-04-06 Fazenda Kaynã. Talvez o primeiro café que percebi que o equilíbrio precisa ser ajustado em gramas (no meu caso, entre 17 e 19 no Aeropress); este café sustentável do Espírito Santo do Pinhal mantém uma fazenda agradável (tirando os mosquitos) com uma aparência clássica; eles produzem também farinha de milho feita na pedra, e vendem para o Ataya.
2018-03-19 Loretto Espresso. Essa versão do café do Espírito Santo do Pinhal tem uma torra mais intensa e um amargor equilibrado em corpo médio com um tânico no retrogosto médio. Moídos 23g e passado na Aeropress.
2018-03-15 Blend Pinhal. Esse blend com três tipos de café traz um equilíbrio entre amargor e doce sem a bichisse dos gourmet; pouco tânico no final e tons amendoados nada marcantes. Moído 21g na hora e passado na Aeropress.
2018-02-23 Cachoeirinha Volcano Coffee Café Spresso. Plantado em solo vulcânico da região de Poços de Caldas (MG), este café possui o “black” típico dos mineiros, é torpe e oleoso em corpo médio para forte com taninos que se misturam com um retrogosto potente como um soco, que vai se esvaindo aos poucos como o vento.
2018-02-04 Loretto Bourbon. O aroma e gosto da avelã e o equilíbrio entre um leve amargor e o tânico tornam este café um dos mais balanceados e leves que já provei. Passado na aeropress após moer do grão.
2018-01-24 Unique Cafés Especiais. Corpo fraco pra médio, amadeirado e doce com amargo imperceptível. Aeropress após testar com prensa francesa durante transição.
2018-01-17 Mantissa Café Fazenda Campestre. Equilibrado, mais doce e bem sutilmente amargo; pouco amadeirado com retrogosto semi persistente em corpo fraco e pouco aromático. Preparando no meio da tarde conversando com a Renata/Regina.
2017-12-20 Sítio do Canto Alto Caparaó MG. Café Gourmet da tiazinha de fim de ano, mineiro doce mas sem bichisse e com um pouquinho do amargor mineiro. Comecei a provar na festa de confraternização da empresa aqui em casa.
2017-12-01 Mantissa Café Fazenda. Comecei a provar este café de Poços, mas não me lembro mais. Troquei pelo do Café Gourmet e talvez volte a provar.
2017-11-21 Vilamonge Café Artesanal Gourme Poços de Caldas. Doce, equilibrado e de corpo bem leve, não é para quem gosta de café forte, mas é viciante. Vários aeropress durante os dias em casa.
2017-11-05 Sítio Morada dos Pássaros Campestre MG. Doce na medida certa, corpo médio, um pouco aromático e não-enjoativo. Aeropress no café da manhã com as crianças.
2017-10-22 Sete Quedas Poços de Caldas Expresso Torrado. Doce amadeirado e oleoso, corpo médio, pouco aromático e seco. Primeiro café provado na Aeropress.
2017-09-17 Subasio Alto Brasileiro Poços de Caldas. Amargo, corpo médio pra forte, meio desequilibrado na acidez e pela prensa um tanto forte na gordura. Provando no café da manhã de domingo com a sogra e um pão na chapa de ferro.
2017-09-12 Fazenda Mira Flor Restinga SP Alta Mogiana Grão Gourmet. O café que chegou junto com os de Poços pelo Grão Gourmet tem um gosto cítrico e corpo médio para fraco, no estilo dos Starbucks mais insossos.
2017-09-11 Cachoeirinha Volcano Coffee Spresso Poços de Caldas. Um dos cafés vulcânicos de Poços de Caldas. Na despensa.
2017-09-11 Fazenda Mira Flor Restinga SP Alta Mogiana Grão Gourmet. O café que chegou junto com os de Poços pelo Grão Gourmet.
2017-09-11 Mantissa Café Fazenda Especial Poços de Caldas. Café chique comprado no mercado de Poços de Caldas. Na despensa.
2017-09-11 Sete Quedas Expresso Torrado Poços de Caldas. Comprado na cafeteria do lado do Araújo em Poços de Caldas. Na despensa.
2017-09-11 Subasio Alto Brasileiro Poços de Caldas. Mais um café do mercado de Poços de Caldas. Na despensa.
2017-09-11 Vilamonge Café Artesanal Gourmet Solo Vulcânico Poços de Caldas. Este é o café vulcânico encontrado em Poços de Caldas no Doce da Roça, onde tem o melhor pão de queijo da região. Na despensa.
2017-08-27 Grão Gourmet Fazenda Macaubas de Cima Patrocínio MG. Corpo fraco, amadeirado, ligeiramente ácido e azedo no retrogosto; bem seco, não deve agradar maioria dos paladares. Apenas mais uma manhã de domingo tomando puro.
2017-07-30 Starbucks Africa Kitamu. Meio água suja com pouco pó, tem aquele doce oleoso típico da Starbucks, corpo leve, sem amargor; apenas o gosto da torra; levemente enjoativo, mas igualmente viciante. Combinação ok junto do pão na chapa de manhã.
2017-07-25 Café Gourmet Fazenda Cachoeira Alta Manhuaçu MG. Corpo médio, certa doçura e caramelo, mas nada enjoativo; pouquíssimo acima do ponto de frescura que suporto. Um café catuaí amarelo e vermelho de Geraldo Antônio da Paixão, com SCAA 85, torrado dia 2017-07-05.
2017-06-29 Starbucks Kati Kati. Um blend aparentemente africano, ele é picante, um pouco amadeirado, mas muito forte e amargo e um tanto áspero para ser do dia-a-dia.
2017-05-30 Café Dona Helena (Santa Catarina). Daqueles meio doces, pouco amadeirados, taninos acentuados.
2017-03-28 Excelência Mineira (Botelhos, MG). Café com gosto de mineiro, seco, sem frescura.
2017-02-20 Poços de Caldas Amore Gourmet. Um café mineiro clássico, com amargor e acidez controladas; seco e agradável, desde que não queime ou coloque muito pó.
2017-02-17 Especial de Poços de Caldas. Gostinho de queimado mineiro, seco e amargo.
2017-02-02 Starbucks Espresso Roast. Encorpado que evita ficar enjoativo; permanência na boca; pouca gordura.
2017-01-30 Starbucks Casi Cielo. Amadeirado um pouco enjoativo, mas pouco ácido; mais amargor que doce.
2017-01-08 Starbucks Sumatra. Amadeirado (ou tânico); doce sem ser enjoativo; nenhuma acidez.
2016-12-27 Starbucks Christmas Blend Expresso Roast 2016. Consegue ser doce sem ser enjoativo.
2016-11-21 Três Corações Extra Forte. Oleoso, é o melhor custo/benefício do mercado.
2016-11-21 Starbucks Pike Place. Aroma muito forte, sabor muito equilibrado. Tem uma hora que enjoa.
2016-11-18 Três Corações Extra Forte. Bem oleoso, mas com um amargor curiosamente melhor que o Tradicional.
2016-05-29 Alvorada Tradicional Santo Antonio da Platina PR. Pouco amargo, mas intensidade OK; já achei melhor que Café do Ponto ou Pilão (não lembro qual tenho aqui).
2016-04-10 Café do Ponto Extra Forte. Versão gourmetizada, com um amargor intenso e um tanto desagradável; ainda falta acertar a quantia.
2016-04-08 Três Corações Tradicional. Amargor desagradávell; difícil de engolir.
2016-03-07 Soberano. Aroma presente durante o feitio, um gosto amargo, mas depois que se acostuma, vicia.
2016-02-01 Tamandaré. Que café viciante! Quanto mais toma, mais quer tomar!
2016-01-13 Blend 80% Melitta 20% Café dos Reis. Coloquei bem mais pó, um sabor um pouco forte demais, mas mais rico que o Melitta e menos firulento que o dos Reis; interessante.
2016-01-10 Melitta Tradicional. Custo benefício interessante; o pó parece cheio de detritos, mas gera um gostinha de café gostoso, ainda que pouco encorpado, mas aromático o suficiente para ser bom.
2016-01-08 Café dos Reis. É bem ruinzinho, mesmo; um gostinho de merda.
2016-01-07 Café dos Reis. Bem caseiro, um pouco doce demais, ainda avaliando.
2015-12-08 Toledo. Bem equilibrado, na coagem do bule ficou muito bom.
2015-11-22 Dulce Gosto Buongiorno. Coado Amargo como o espresso, mas mais fraco e com um gostinho de água suja.
2015-11-08 Dulce Gosto Buongiorno. Um espresso simples, sem muita frescura; mais encorpado que o normal e menos amargo.
2015-10-28 Tipuana. Se colocar pó na medida certa, mais equilibrado que o outro de Tiradentes.
2015-10-21 Tipuana. Parece equilibrado, mas igualmente ácido; é a desvantagem de cafés não-balanceados e com firulas.
2015-09-30 Soberano. Amargor de Minas, mas mais leve e equilibrado. Fácil de beber; notei que ele é bem ácido com o passar do tempo.
2015-09-07 Starbucks Pike Place. No sítio do 7 de setembro, um pouco fraco, corpo médio, combina perfeitamente com bolo de chocolate.
2015-09-06 Três Corações. Amargor razoável, pouco corpo, mas agradável de tomar sozinho
2015-08-30 Blend Paraná e Piatã. Ainda tentando acertar a proporção (talvez menos de Piatã), mas a mistura agiliza a coagem e deixa mais forte o café, com o aroma do Paraná (e sem tanta doçura).
2015-08-22 Paraná. Tem aquela bichisse amadeirada, mas não é tão acentuado.
2015-07-02 Gourmet da Bonnie. Razoável; tem suas bichisses, mas nada que incomode. É intenso, bom amargor, um pouco adocidado. (desconfio que seja o mesmo que comprei)
2015-06-21 Fazenda Valsugana Pirassuranga. Especial Mais fraco que o normal deles, um pouco enjoativo. O normal pelo menos parecia mais equilibrado, ainda que não tenha tantos aromas (também gera um café bem ralo).
2015-06-05 Piatã (Bahia). Bem forte, precisa colocar bem menos pó, mas depois que acerta a proporção é maravilhoso.
2015-06-05 Fazenda Valsugana Pirassuranga. Bem equilibrado, de amargor agradável.
2015-05-01 Pilão Extra Forte. Um café que deve ser barato e que é razoavelmente interessante.
2015-04-28 Orgânico Spress Poços de Caldas. É amargo, mas tem o sabor meio azedo, levemene doce (ou amadeirado). Bixisse demais para mim.
2015-04-18 Assis Poços de Caldas. Parecido com o Evolutto com um pouco mais de doce.
2015-04-13 Evolutto Poços de Caldas. Bom, mas sem muitos aromas.
Cafés. Histórico de degustação de cafés. Tags: food. Publicado em 2019-07-19. Quer colaborar?