Lista de Cervejas

Jan 1, 0001

Links:

2018-11-23 Blue Moon IPA possui corpo médio e é cítrico em vez de lupulado aromático, fácil de beber.

2018-11-21 Minerva artesanal do México é uma draft de corpo médio pra fraco com final de café por causa do malte tostado. Fica bom com nachos do lugar onde comemos no aeroporto.

2018-11-05 Tupiniquim Session IPA tem amargor, mas é constante e médio, como seu corpo; para um kebab seja demais, mas foi com ele que eu tomei.

2018-11-05 Faxe Royal Export é uma dinamarquesa com malte leve, mas menos leve que uma pilsen: tem presença enquanto você bebe. Foi a porta de entrada da nova casa do Incrível.

2018-11-05 Tupiniquim Chocolate é uma cerveja escura tipo stout cujo sabor lembra mais café, apesar de não ter café em sua composição (é só a torra do malte). Bom pra tomar sem nada embora a dica é com algum doce à base de chocolate.

2018-11-05 Invicta Saison tem aroma de coentro e não é soco no estômago como todas as Invictas que já provei (inclusive na própria cervejaria). É leve, clara, aromática e gasosa.

2018-11-05 Burgman Midnight Riders é surpreendentemente uma Weiss, mas não tão doce como costumam ser as Weisses, nem tão gasosa. A palavra chave é: surpreendente.

2018-11-05 Burgman Fun Weiss é menos weiss ainda que a Midnight Riders. Eu não me lembro mais que isso.

2018-11-05 Tupiniquim Anunciação IPA é porradinha no estômago, mas seu lúpulo parece de respeito. Sinceramente, minha memória alcoólica deteriora na velocidade da luz.

2018-10-28 Colorado Okto Session tem pouco álcool, lembra Tubaína e vem com caju. O amargor é sereno com corpo fraco pra médio; boa pedida com castanhas de caju.

2018-10-02 Exterminador de trigo American Wheat. Essa receita da Três Lobos com Capim Limão poderia ser melhor. Mal misturado, gosto ameno, tem corpo médio demais para um wheat.

2018-09-25 O chope Putz IPA têm lúpulos cheirosos e corpo leve, pouco alcoólico e bem agradável gelado. Ou seja, nem parece IPA.

2018-09-25 Coruja Pilsen é uma… pilsen? Bom, tem um salgadinho próximo de uma witbier prestes a ser esquecida.

2018-09-23 O chope da Strappa Gingerberry é um chá preto fermentado com gengibre e gradação alcoólica ridícula de 0.6%. Ele é ainda frutado (possui morango) e deixa a garganta quentinha. Ótima opção entre bebidas mais fortes. Dá uma pausa etílica e estilosa na balada.

2018-09-22 Kairós Sol Poente é uma West Coast IPA de respeito. Equilibrada de corpo leve, seu chope é aromático e um pouco salgado com amargor presente sem exageros.

2018-09-20 O Saint Golden Ale é ligeiramente melado, corpo médio com pouca espuma. Artesanal da região de Floripa, bom custo/benefício. Primeira cerveja da viagem do Native Floripa.

2018-08-26 Dogfish Head Namaste White Belgian-Style Witbier. Com esse nome longuíssimo é óbvio que não é legal. Se trata de uma Witbier esquecível, cítricazinha, levezinha, espumazinha. Tudo inha para uma cerveja que se chama… como é o nome, mesmo?

2018-08-09 Colorado Ithaca é selada com um material plástico/borracha vermelho e uma produção limitada e inacessível nos grandes mercados. Ela é preta, densa, “intomável” em vários goles (tente para ver como estragar uma garrafa). O sabor de rapadura se mistura com o lúpulo agressivo, e a bebida merece o mais forte e gorduroso dos pratos com louvor.

2018-08-08 Double Hop Monster IPA. Mais uma amostra do O’Malleys, mas essa nem eles conseguiram estragar. Essa Double IPA é intensa na medida certa para quem quer apenas um copo para degustar por uma hora. Um gole é uma memória. Corpo médio para forte com intensidade de sabores que vai te fazer bebericar novamente assim que puder.

2018-08-08 Ruddles County English Ale. Uma Cream Ale porcamente estocada pelo O’Malleys, o pub que faz um tempo não sabe muito bem o que está fazendo (se continua enchendo a culpa é dos Paulistanos, imagino). É uma cerveja da promoção da semana, que contém equilíbrio no lúpulo e pouco gás. Fácil de ingerir e de esquecer.

2018-08-06 Bierland Witbier. Nunca me decepciono com os resultados dessa cervejaria de Blumenau. Aqui eles te entregam uma Witbier tão equilibrada que ela arrisca agradar gregos e troianos, no sentido que há pouquíssimo amargor, mas ele é sólido, e seus tons cítricos e sua espuma conferem o corpo e maciez.

2018-08-06 Colorado Murica é mais um dos experimentos da cervejaria do urso com frutas. Dessa vez a escolhida é a graviola, e, rapaz, o Sr. Laércio Shiya, Mestre Cervejeiro desde sempre, sabe fazer as coisas bem feitas em pequena e grande escala.

2018-08-06 Mafiosa Consiglieri Double India Pale Ale é, de acordo com o rapaz da Cervejoteca, a melhor IPA do mercado. E ela possui aquele equilíbrio que gostamos quando não queremos apenas sentir lúpulo. Às vezes o negócio da cerveja lupulada não é o amargor sem fim, mas apenas a impressão de estar bebendo algo que encaixa em nossa vida.

2018-08-06 Tripel Karmeliet é uma blonde Belgian beer bem alcoólica, mas que você não sente, pois seu aroma cítrico é mais potente sempre. Ela desce tão fácil e vai liberando novos aromas conforme a temperatura sobe de 4 a 15. Para quem não gosta do amargor da cerveja.

2018-08-06 La Guapa Carmen é a cerveja do restaurante anônimo produzida pela ZalaZ, de Paraisópolis (mineira), que é leve o suficiente para ser degustada e pesada o suficiente para ser degustada com empanadas. Seu aroma de laranja e maracujá do rótulo dá um tom cítrico, mas pouco perceptível por conta de seu corpo leve.

2018-07-26 1681 Schloss Eggenberg Flopfen Rönig é de uma cervejaria bem antiga da Áustria, feita em um castelo, e que nessa edição nos traz um sabor rapidamente intenso, um pouco de sal, cítrico e aromas que se esvaem rapidamente. É uma cerveja boa para tomar sozinha se quiser.

2018-07-16 A Colorado Cauim 016, que mantenho algumas garrafas em estoque, é uma Pilsen, mas não é uma Pilsen qualquer. Ela não é tão amarga, possui corpo fraco a médio, ou talvez até médio, e também frescor no aroma e um toque cítrico no sabor, com after que lembra manga, tangerina, ou algo próximo.

2018-07-15 A Brewdog Punk IPA, essa sim, vale a pena. Lupulada com aroma, amarga na medida certa e com um after completo, que cobre a boca toda, essa versão da cervejaria do Reino Unido merece palmas pela conquista em latinha.

2018-07-13 A Brewdog que o Incrível achou na lojinha da liberdade se chama Indie Pale Ale, o que parece uma brincadeira, pois no fundo se trata de um pilsen leve, que embora aromático e um tanto com certos tons condimentados, seu corpo é muito leve e amargor inexistente (ou some tão rápido que não se constrói um after sensível).

2018-07-07 O chope da Colorado Demoiselle na degustação ao final visita da Toca do Urso, demonstrando o sistema de auto tap (My Tap, acho que é o nome), revela uma cerveja surpreendentemente aromática, algo difícil de sentir nas engarrafadas. O colarinho é delicioso e o sabor misto da cerveja e da espuma sugerem fortemente o café. Amargor um pouco enjoativo, mas saboroso.

2018-07-07 Assim como o Colorado Murica, que tem um creme aromático e um sabor igualmente cítrico, mas mais frutado, pois vem da graviola.

2018-07-07 Colorado Eugênia fez parte da degustação da visita da Toca do Urso e me ganhou pelo frescor que ela oferece em detrimento às mais potências. O corpo é médio para forte, mas o tom cítrico compensa.

2018-07-07 Este foi o grande achado na visita da Toca do Urso. A pilsen com Dry Hopping Cauim 016, parte da degustação, é uma pilsen aromática e equilibrada. Chega a ter o corpo quase médio, mas peca um pouco pelo after. De qualquer forma, o chope vale muito à pena.

2018-06-20 Grolsch Premium Lager. Cerveja de corpo leve para média, acompanha bem comida árabe desse restaurante inusitado de Tucumán na Argentina.

2018-05-26 Ashby Pale Ale. Essa cerveja de Amparo é bem melada para uma Pale Ale e tem um final de amargo adoçante que não me agrada. Mas é consistente e pode combinar bem com pratos semi doces, como o ensopado de curry que a mulher fez para harmonizar. Consumir em ritmo médio porque tem corpo médio e é cerveja para assistir standup na Netflix.

2018-05-20 Old Specked Hen é uma Ale meio sem graça para temperaturas frias (pela falta de gás) e sem graça em temperaturas quentes (pela falta de gosto). Pode estar choca, mas mesmo choca teria que ter potência. Seu corpo é uma pilsen glorificada com uma coloração bonita. Não serve para acompanhar séries fortes como Happy é muito menos para gastar em conversas animadas com amigos. Deixe na prateleira (exceto se for sensível).

2018-04-19 Eisenbahn Pale Ale. Tem no mercado da frente de casa, é um bom custo/benefício; então sempre tem na geladeira; seu amargor é desequilibrado demais, e um tanto aguada, mas melhor que a maioria das pilsen, então…

2018-04-06 Wäls Petroleum. Sinceramente, esta passou do ponto; intensamente intensa, feita para quem gosta de café forte e está muito bêbado para perceber nuances; harmonizar com socos na cara.

2018-04-06 Insana APA. Segunda prova desta APA nacional deu a sensação dela ser mais aromática que saborosa; mas continuemos tentando.

2018-03-16 Schornstein Witbier. Esta Witbier combina perfeitamente com o peixe do Uokatsu, que começou a oferecer a linha dessa pequena e consistente cervejaria de Pomerode; corpo fraco pra médio, amargor quase inexistente; uma pilsen com sabor, elegância e refrescância.

2018-03-15 Mohave Yucca Witbier. Mais uma Witbier interessante dessa cerejaria artesanal carioca que nasceu entre amigos; em corpo médio é um ótimo começo de noite com comidinhas.

2018-03-10 Madalena Double IPA. É forte, densa, corpo violento, mas que não mantém um amargor; o lúpulo vira outra coisa, toma forma própria e te ataca ou te abraça; um dos dois irá acontecer.

2018-03-10 Colorado Appia. Uma nuvem de bitter e frescor que se aproxima da mescla entre uma Pilsen e algo a mais que ela e a Serra Malte possuem.

2018-03-10 Goose IPA. Um pequeno soco no estômago que te manda acordar da vida e saborear esta cerveja lupulada com intensidade sem perder o frescor; colarinho de respeito.

2018-02-23 RedCor Intrigante American Wheat Rye. A cervejaria de Maringá que agora produz suas cervejas em Blumenau oferece um ponto de entrada entre uma Blonde e uma IPA com esta Wheat Rye frutada de corpo médio e amargor constante; é difícil não perceber que ela consegue ser refrescante mesmo mais forte que uma pilsen.

2018-01-30 Serra Malte. Semi gelada em um dia gelado ela oferece a manutenção da temperatura do corpo um pouco abaixo; seu amargo maltado é agradável e perene. Tomando no japonês da Bom Pastor com carne e gengibre.

2018-01-08 Ouropretana Pale Ale. Não havia a Ouropretana mais amarga, mas essa quebrou o galho no pub de Ouro Preto.

2018-01-07 Diamantina Blonde Ale. Com IBU 20, é bem leve e equilibrada. Uma das cervejas mais equilibradas, embora de corpo fraco, dessa viagem. Uma das cervejas de presente pro Rodrigo que ele abriu conosco.

2018-01-07 Wee Heavy Bodebrown Strong Scotch Ale. Cerveja que o Rodrigo da Kelly guardou por um ano e maio. Uma cerveja com xarope forte, amargo e levemente doce com corpo médio. Bom com torresmo que trouxemos do Recanto do Antônio.

2018-01-05 Dos Caras American Wheat. Para um trigado não muito doce nem denso. Tomado no Pub Catedral.

2018-01-03 Dos Caras California Common. Uma das cervejas dessa cervejaria de Nova Lima, próximo de BH, mas tomado em Diamantina (no restaurante de esquina próximo da descida).

2018-01-03 Ashby Pale Ale. Um pale ale de Minas (Amparo) com corpo fraco para médio como uma Lagger e ligeiramente amarga. Primeira visita no restaurante Recanto do Antônio tomado com o PF do dia (frango).

2018-01-02 Krug Bier Chope. Um blonde equlibrado, denso, corpo médio. Produzido artesanalmente na região de Diamantina e tomado primeira tarde na viagem do ano-novo de 2018 no Pub Catedral, sentado no bar.

2017-10-20 Paulaner Salvator Doppelbock. Boa, mas acho que doce além do que gosto. Tomando com pão e carne louca.

2017-10-07 Bohemia 838 Pale Ale Corpo leve demais para um Pale Ale, chega a ser Pilsen. Com salsicha e queijo na airfryer.

2017-10-05 Bohemia 14-Weiss. Doce, equilibrada, aromáticas; corpo fraco pra uma Weiss, perde gás fácil. Tomei com pizza que achamos perto de casa.

2017-09-28 Colorado Indica Pale Ale. Amarga ligeiramente acima do ponto, corpo médio pra forte. Acompanhando batatas ao forno com bacon, salsichão e alho.

2017-09-13 Eisenbahn Extra Escura Dunkel. Combina perfeitamente com carne reduzina na pressão, como a que a Mitiko fez no almoço de hoje.

2017-09-12 Eisenbahn Extra Escura Dunkel. Não tão doce quanto a última vez que provei; uma dunkel que tem gosto de café por conta do malte cerrado; bom corpo e não-enjoativo. Almoço com bifum e purê apimentado.

2017-09-09 Chope Gonçalvez IPA Poços de Caldas. Não tão forte, mas muito equilibrada. Tomada direto na cervejaria na avenida em Poços.

2017-09-08 Chope Gorillaz Lager Poços de Caldas. Encorpada e não tão doce; colarinho cheio de aromas. Tirada perfeitamente no Justo no Terraço em Poços.

2017-08-07 Paulistânia IPA Caminho das Índias. Forte quase além do limite… mas aguenta bem. No Recanto encontro da BF owners.

2017-08-07 Hacker-Pschorr Munich Gold. Para uma cerveja puro malte ainda falta bastante malte; voltar para a Proibida. Bebi com o Strauss na reunião de acionistas no laguinho.

2017-07-27 Colorado Indica Pale Ale. Amarga no ponto, corpo médio pra forte. Acompanhou bem as azeitonas pretas pós-hambúrguer com chips de batata-doce.

2017-07-25 Ravache Puro Malte. Corpo leve demais para um puro malte; muita propaganda para nada.

2017-07-20 Wäls Hop Corn IPA. Encorpado e um pouco além de amargo. Não acompanhou muito bem com a comida do Chez, onde eu e o Taz almoçamos.

2017-07-20 Wäls Session Citra. Refrescante, leve, fácil de tomar com comidinhas. Como no almoço com o Taz no Chez.

2017-06-07 Colorado Appia. Ele tem um doce sutil, assim como amargo; lembrar de tomar por inteiro, como Weiss. Em casa, não lembro o que comia.

2017-06-07 Baden Baden American IPA. O doce sobrepõe o amargo e não fica agradável, mesmo com amendoim de wassabi. Em casa com amendoim de wassabi.

2017-06-01 Baden Baden American IPA. Muito doce para uma IPA; sobressai ao amargo e fica enjoativo.

2017-05-31 Chope Guiness. Equilíbrio entre doce, amargo e um toque de café.

2017-05-29 London Pride (garrafa). Um amargor intenso sem agredir o paladar.

2017-05-24 Wild River Double Hopped Pale Ale. Red Ale que parece Pale Ale não tão amarga.

2017-05-15 Imperial Lager. Meio refrescante, meio amarga. Penúltimo almoço no Dubai, restaurante árabe de Salta.

2017-05-14 Salta Negra. Gosto de café, pouco doce, after espumoso. Primeiro jantar no Dubai, restaurante árabe de Salta.

2017-03-25 Kirin Ichiban Puro Malte. Uma cerveja pilsen maltada que rivaliza com a Proibida.

2017-03-25 Dom Casmurro IPA. Excelente equilíbrio de amargor, frutado e muito aromático.

2017-03-21 Lohns Bier IPA. Bem amargo, quase demais.

2017-01-05 Patagonia Weiss. Doce, mas não tanto. Agradável.

2017-01-05 Cervejaria Nacional Stout. Equilíbrio entre amargo e doce.

2016-12-27 Chimay Pères Trappistes. Ela é bem amarga para uma trigada, mas possui um equilíbrio interessante.

2016-12-04 Patagonia Amber Lager. Pouco densa, pouco amarga e pouco doce; uma combinação equilibrada.

2016-12-04 Ashby Ganesha IPA Ambar. Cor âmbar densa, amargor constante, bem pesada para tomar desacompanhado.

2016-11-24 Budweiser Lager. Tem um ótimo custo benefício. Parece ter voltado a ser levemente mais forte que as outras.

2016-06-01 Ipaipim. É uma IPA com aipim (mandioca), mas quase não dá pra notar com esse amargor todo.

2016-05-29 Shorstein Pale Ale. Amargor equilibrado, não muito intenso. Não muito barato.

2016-05-29 Shorstein Imperial Stout. Gosto de defumado, pouco melado e amargo. Bem caro.

2016-03-05 Serra Malte. A pequena é ótima, pois enjoa mais devagar, e é tão intensa…

2016-01-31 Löwenbräu. Um pouco fraca, mas agradável; um pouco espumosa demais.

2016-01-30 Bäcker Pale Ale. Balanceada, um ótimo custo/benefício.

2015-11-09 Caá Yari. Doce com o amargor característico de uma Belgian Blonde Ale.

2015-10-27 Jabutipa IPA. O amargo da Boemia, cujo amargor não tem muito aroma ou sensação, mas foda-se: É amargo pra caralho.

2015-09-28 Eisenbahn Pilsen. Mais consistente, menos aguada que a maioria; não muito forte.

2015-09-24 Hoegaarden trigada. É trigada, mas não tão doce; bem encorpada.

2015-09-13 Colorado Café. Equilibrando doce e amargo, um pouco aguada (sem lúpulo), e talvez lembre café.

2015-08-30 Therezopolis Gold Malte Dunkel. Um pouco doce demais, o amargo no ponto; não tomar muito gelado, nem quente; vai bem com Yakissoba.

2015-08-06 Original. Tomei com o Strauss no almoço PF, meio aguado e incha demais.

2015-07-25 Serra Malte. Experimentei ao visitar a tia Margarete, muito bom ainda.

2015-07-17 Brahma. Aguada, muito gás, depois de um tempo é impossível tomar mais.

2015-07-10 Serra Malte. Experimentei de novo em Minas, é muito bom e forte (e lá barato).

2015-06-21 Therezopolis Gold. Agradável, mas bem forte; não combina muito bem com comida apimentada.

2015-06-21 Ravache Pale Ale. Bem amarga, bom para acompanhar algo, mas sozinha fica um pouco demais.

2015-05-01 1906. Importada, um amargo que dá pro gasto.

2015-01-27 Tiradentes: Áustria Krug Bier Premium 100% Malte. Uma Pilsen equilibrada, que não parece aguada, e um ótimo custo-benefício (se não estivesse em Tiradentes)

2015-01-13 Ouro Pretana Americana Brown Porter. Muito equilibrada, pouco doce e pouco amargo com pouca espuma; ímpar.

2015-01-07 3 Lobos Bravos. Muito espumoso, e o gosto de açúcar não é muito bom, é enjoativo; não aguentei.

2015-01-04 Ouro Pretana Pale Ale. Bem equilibrado; refrescante com amargor e um pouco de doce.

Lista de Cervejas, by Wanderley Caloni.