Developer: you need to know English!

2007/09/28

Eu realmente gostei desse negócio de tagging. =)

Aproveitando o comentário do Ferdinando sobre o novo sistema de tradução eletrônica do MSDN, lanço aqui algumas dicas para aprender a tão falada língua de Shakespeare. Acredite, se você deseja ser um melhor programador, inglês é fundamental.

Primeira dica: aprenda inglês instrumental

O aprendizado de qualquer idioma deve estar focado em um objetivo. Se o objetivo é se comunicar, conversação é importante. Se você deseja ser um business man, um vocabulário mais específico deve ser aprendido. No nosso caso, em que a santa leitura técnica de cada dia é a necessidade básica, alguns passos básicos em inglês instrumental é um ótimo começo para começar a desvendar 80% da internet.

Note, contudo, que inglês instrumental não é muito bem visto por escolas conceituadas de idiomas, tanto por ensinar um inglês limitado quanto por criar vícios de linguagem. O importante a lembrar nesse caso é: estamos usando o inglês como uma ferramenta de compreensão de textos que são úteis para nosso trabalho. Se o interesse/necessidade do inglês for maior, deve-se passar para as próximas dicas.

Seguem alguns primeiros passos para começar a se aventurar:

Segunda dica: leia, traduza, leia, traduza, leia…

Como todo bom aprendizado, a parte mais importante é a prática. E nada melhor para praticar do que ler pra caramba, certo? Isso quer dizer que você terá algumas tarefas diárias a partir de agora:

Terceira dica: comece a ouvir

Se sua necessidade do inglês era apenas ler textos técnicos, pode parar por aqui. Mas nem sempre o conteúdo está escrito. Pode ser que existam palestras interessantíssimas do Channel9 ou podcasts de informática que você simplesmente não pode perder. Nesse caso, não há uma dica melhor do que imitar as crianças quando aprendem suas línguas nativas: ouça pessoas falando em inglês.

Isso, aliada à sua prática diária de leitura de artigos, pode ser complementada se prestar atenção sempre na pronúncia correta das palavras que vai aprendendo. Muitas pessoas se tornam exímias leitoras de textos em inglês, mas não conseguem entender uma frase comum do dia-a-dia. Isso ocorre porque o inglês escrito difere em muito das regras de pronúncia do português escrito, o que gera muita confusão. Felizmente, na maioria dos dicionários existe sempre a transcrição fonética no início de cada vocábulo. É importante usá-la, e pelo menos uma vez você mesmo tentar pronunciar a palavra de sua boca.

Nesse momento, o importante é fazer a transição escrito-falado. Por isso, tente ouvir podcasts em que o texto falado está disponível para leitura. Dessa forma é possível acompanhar os dois. Eu costumava ouvir o Word for the Wise da Merriam-Webster, por ser curto e interessante. Mas o ideal é unir o útil ao agradável, e nisso com certeza um podcast de tecnologia seria muito melhor.

_Trapaceando: no começo, é comum haver divergências de pronúncia ou falta da capacidade de ouvir (__listening). Você pode sempre apelar para as pronúncias disponíveis nos dicionários __online, como o Merriam-Webster. Ouça um milhão de vezes para pegar o jeito. _

Fourth tip: listen more!

Depois de obter um feeling básico sobre o que é escrito e o que é falado pode-se partir para estudos mais ousados e voltados para o aprendizado da língua de fato. Sabendo da facilidade que já obtivemos em traduzir textos e ouvir, considero as tarefas abaixo ideais para chegarmos ao tão sonhado language aquisition:

Nesse ponto, uma ressalva: é extremamente natural não entender patavina do que as pessoas estão falando no começo do aprendizado. Mas o importante é nunca deixar de ouvir. Com o tempo, nossos ouvidos aos poucos vão sendo treinados para perceber os nuances da língua falada, e começamos a abrir nosso leque de conhecimento linguístico. Experimente!

Quinta dica: digite… escute… e FALE!

Existem inúmeros recursos hoje em dia para que duas pessoas em qualquer lugar do mundo consigam se comunicar pela grande rede. Afinal, depois de tanto aprender a ler e escutar, é hora de soltar o verbo:

Última dica: não espere pelo fim

Como eu disse no começo desse artigo, cada pessoa tem seu objetivo em aprender uma língua. Cumprido esse objetivo, acredito que já podemos nos fazer por satisfeitos. Contudo, quando se começa a aprender de fato uma língua, é comum as pessoas acharem que chegarão na linha de chegada ao final do curso, ou ao conseguirem o tão sonhado certificado de proficiência. São marcos, não tenha dúvida. Mas não são o ponto onde se pode parar e descansar pelo resto da vida. Assim como usamos o português no dia-a-dia, o inglês também deve ser usado diariamente. Se não for usado, ele irá aos poucos perdendo lugar em nossas memórias, até o momento em que será necessário recomeçar de um ponto muito distante da linha de chegada que haviamos acreditado ter alcançado para sempre.

A última dica que deixo para vocês é: usem sempre o que aprenderam. A falta de uso é desperdício do tempo passado adquirindo o conhecimento.

Good luck! =)

Sítios de aprendizado da língua inglesa (em inglês)

Ajuda para iniciantes:

Para aprimorar seus conhecimentos:

Facebook | Twitter | Linkedin | Google