Café

2018/04/06

2018-04-06 Fazenda Kaynã. Talvez o primeiro café que percebi que o equilíbrio precisa ser ajustado em gramas (no meu caso, entre 17 e 19 no Aeropress); este café sustentável do Espírito Santo do Pinhal mantém uma fazenda agradável (tirando os mosquitos) com uma aparência clássica; eles produzem também farinha de milho feita na pedra, e vendem para o Ataya.

2018-03-19 Loretto Espresso. Essa versão do café do Espírito Santo do Pinhal tem uma torra mais intensa e um amargor equilibrado em corpo médio com um tânico no retrogosto médio. Moídos 23g e passado na Aeropress.

2018-03-15 Blend Pinhal. Esse blend com três tipos de café traz um equilíbrio entre amargor e doce sem a bichisse dos gourmet; pouco tânico no final e tons amendoados nada marcantes. Moído 21g na hora e passado na Aeropress.

2018-02-23 Cachoeirinha Volcano Coffee Café Spresso. Plantado em solo vulcânico da região de Poços de Caldas (MG), este café possui o “black” típico dos mineiros, é torpe e oleoso em corpo médio para forte com taninos que se misturam com um retrogosto potente como um soco, que vai se esvaindo aos poucos como o vento.

2018-02-04 Loretto Bourbon. O aroma e gosto da avelã e o equilíbrio entre um leve amargor e o tânico tornam este café um dos mais balanceados e leves que já provei. Passado na aeropress após moer do grão.

2018-01-24 Unique Cafés Especiais. Corpo fraco pra médio, amadeirado e doce com amargo imperceptível. Aeropress após testar com prensa francesa durante transição.

2018-01-17 Mantissa Café Fazenda Campestre. Equilibrado, mais doce e bem sutilmente amargo; pouco amadeirado com retrogosto semi persistente em corpo fraco e pouco aromático. Preparando no meio da tarde conversando com a Renata/Regina.

2017-12-20 Sítio do Canto Alto Caparaó MG. Café Gourmet da tiazinha de fim de ano, mineiro doce mas sem bichisse e com um pouquinho do amargor mineiro. Comecei a provar na festa de confraternização da empresa aqui em casa.

2017-12-01 Mantissa Café Fazenda. Comecei a provar este café de Poços, mas não me lembro mais. Troquei pelo do Café Gourmet e talvez volte a provar.

2017-11-21 Vilamonge Café Artesanal Gourme Poços de Caldas. Doce, equilibrado e de corpo bem leve, não é para quem gosta de café forte, mas é viciante. Vários aeropress durante os dias em casa.

2017-11-05 Sítio Morada dos Pássaros Campestre MG. Doce na medida certa, corpo médio, um pouco aromático e não-enjoativo. Aeropress no café da manhã com as crianças.

2017-10-22 Sete Quedas Poços de Caldas Expresso Torrado. Doce amadeirado e oleoso, corpo médio, pouco aromático e seco. Primeiro café provado na Aeropress.

2017-09-17 Subasio Alto Brasileiro Poços de Caldas. Amargo, corpo médio pra forte, meio desequilibrado na acidez e pela prensa um tanto forte na gordura. Provando no café da manhã de domingo com a sogra e um pão na chapa de ferro.

2017-09-12 Fazenda Mira Flor Restinga SP Alta Mogiana Grão Gourmet. O café que chegou junto com os de Poços pelo Grão Gourmet tem um gosto cítrico e corpo médio para fraco, no estilo dos Starbucks mais insossos.

2017-09-11 Cachoeirinha Volcano Coffee Spresso Poços de Caldas. Um dos cafés vulcânicos de Poços de Caldas. Na despensa.

2017-09-11 Fazenda Mira Flor Restinga SP Alta Mogiana Grão Gourmet. O café que chegou junto com os de Poços pelo Grão Gourmet.

2017-09-11 Mantissa Café Fazenda Especial Poços de Caldas. Café chique comprado no mercado de Poços de Caldas. Na despensa.

2017-09-11 Sete Quedas Expresso Torrado Poços de Caldas. Comprado na cafeteria do lado do Araújo em Poços de Caldas. Na despensa.

2017-09-11 Subasio Alto Brasileiro Poços de Caldas. Mais um café do mercado de Poços de Caldas. Na despensa.

2017-09-11 Vilamonge Café Artesanal Gourmet Solo Vulcânico Poços de Caldas. Este é o café vulcânico encontrado em Poços de Caldas no Doce da Roça, onde tem o melhor pão de queijo da região. Na despensa.

2017-08-27 Grão Gourmet Fazenda Macaubas de Cima Patrocínio MG. Corpo fraco, amadeirado, ligeiramente ácido e azedo no retrogosto; bem seco, não deve agradar maioria dos paladares. Apenas mais uma manhã de domingo tomando puro.

2017-07-30 Starbucks Africa Kitamu. Meio água suja com pouco pó, tem aquele doce oleoso típico da Starbucks, corpo leve, sem amargor; apenas o gosto da torra; levemente enjoativo, mas igualmente viciante. Combinação ok junto do pão na chapa de manhã.

2017-07-25 Café Gourmet Fazenda Cachoeira Alta Manhuaçu MG. Corpo médio, certa doçura e caramelo, mas nada enjoativo; pouquíssimo acima do ponto de frescura que suporto. Um café catuaí amarelo e vermelho de Geraldo Antônio da Paixão, com SCAA 85, torrado dia 2017-07-05.

2017-06-29 Starbucks Kati Kati. Um blend aparentemente africano, ele é picante, um pouco amadeirado, mas muito forte e amargo e um tanto áspero para ser do dia-a-dia.

2017-05-30 Café Dona Helena (Santa Catarina). Daqueles meio doces, pouco amadeirados, taninos acentuados.

2017-03-28 Excelência Mineira (Botelhos, MG). Café com gosto de mineiro, seco, sem frescura.

2017-02-20 Poços de Caldas Amore Gourmet. Um café mineiro clássico, com amargor e acidez controladas; seco e agradável, desde que não queime ou coloque muito pó.

2017-02-17 Especial de Poços de Caldas. Gostinho de queimado mineiro, seco e amargo.

2017-02-02 Starbucks Espresso Roast. Encorpado que evita ficar enjoativo; permanência na boca; pouca gordura.

2017-01-30 Starbucks Casi Cielo. Amadeirado um pouco enjoativo, mas pouco ácido; mais amargor que doce.

2017-01-08 Starbucks Sumatra. Amadeirado (ou tânico); doce sem ser enjoativo; nenhuma acidez.

2016-12-27 Starbucks Christmas Blend Expresso Roast 2016. Consegue ser doce sem ser enjoativo.

2016-11-21 Três Corações Extra Forte. Oleoso, é o melhor custo/benefício do mercado.

2016-11-21 Starbucks Pike Place. Aroma muito forte, sabor muito equilibrado. Tem uma hora que enjoa.

2016-11-18 Três Corações Extra Forte. Bem oleoso, mas com um amargor curiosamente melhor que o Tradicional.

2016-05-29 Alvorada Tradicional Santo Antonio da Platina PR. Pouco amargo, mas intensidade OK; já achei melhor que Café do Ponto ou Pilão (não lembro qual tenho aqui).

2016-04-10 Café do Ponto Extra Forte. Versão gourmetizada, com um amargor intenso e um tanto desagradável; ainda falta acertar a quantia.

2016-04-08 Três Corações Tradicional. Amargor desagradávell; difícil de engolir.

2016-03-07 Soberano. Aroma presente durante o feitio, um gosto amargo, mas depois que se acostuma, vicia.

2016-02-01 Tamandaré. Que café viciante! Quanto mais toma, mais quer tomar!

2016-01-13 Blend 80% Melitta 20% Café dos Reis. Coloquei bem mais pó, um sabor um pouco forte demais, mas mais rico que o Melitta e menos firulento que o dos Reis; interessante.

2016-01-10 Melitta Tradicional. Custo benefício interessante; o pó parece cheio de detritos, mas gera um gostinha de café gostoso, ainda que pouco encorpado, mas aromático o suficiente para ser bom.

2016-01-08 Café dos Reis. É bem ruinzinho, mesmo; um gostinho de merda.

2016-01-07 Café dos Reis. Bem caseiro, um pouco doce demais, ainda avaliando.

2015-12-08 Toledo. Bem equilibrado, na coagem do bule ficou muito bom.

2015-11-22 Dulce Gosto Buongiorno. Coado Amargo como o espresso, mas mais fraco e com um gostinho de água suja.

2015-11-08 Dulce Gosto Buongiorno. Um espresso simples, sem muita frescura; mais encorpado que o normal e menos amargo.

2015-10-28 Tipuana. Se colocar pó na medida certa, mais equilibrado que o outro de Tiradentes.

2015-10-21 Tipuana. Parece equilibrado, mas igualmente ácido; é a desvantagem de cafés não-balanceados e com firulas.

2015-09-30 Soberano. Amargor de Minas, mas mais leve e equilibrado. Fácil de beber; notei que ele é bem ácido com o passar do tempo.

2015-09-07 Starbucks Pike Place. No sítio do 7 de setembro, um pouco fraco, corpo médio, combina perfeitamente com bolo de chocolate.

2015-09-06 Três Corações. Amargor razoável, pouco corpo, mas agradável de tomar sozinho

2015-08-30 Blend Paraná e Piatã. Ainda tentando acertar a proporção (talvez menos de Piatã), mas a mistura agiliza a coagem e deixa mais forte o café, com o aroma do Paraná (e sem tanta doçura).

2015-08-22 Paraná. Tem aquela bichisse amadeirada, mas não é tão acentuado.

2015-07-02 Gourmet da Bonnie. Razoável; tem suas bichisses, mas nada que incomode. É intenso, bom amargor, um pouco adocidado. (desconfio que seja o mesmo que comprei)

2015-06-21 Fazenda Valsugana Pirassuranga. Especial Mais fraco que o normal deles, um pouco enjoativo. O normal pelo menos parecia mais equilibrado, ainda que não tenha tantos aromas (também gera um café bem ralo).

2015-06-05 Piatã (Bahia). Bem forte, precisa colocar bem menos pó, mas depois que acerta a proporção é maravilhoso.

2015-06-05 Fazenda Valsugana Pirassuranga. Bem equilibrado, de amargor agradável.

2015-05-01 Pilão Extra Forte. Um café que deve ser barato e que é razoavelmente interessante.

2015-04-28 Orgânico Spress Poços de Caldas. É amargo, mas tem o sabor meio azedo, levemene doce (ou amadeirado). Bixisse demais para mim.

2015-04-18 Assis Poços de Caldas. Parecido com o Evolutto com um pouco mais de doce.

2015-04-13 Evolutto Poços de Caldas. Bom, mas sem muitos aromas.