Aleksander Sokurov: Uma Questão de Cinema

Caloni, October 24, 2011

Quando o diretor de A Arca Russa tem algo a falar sobre movimento e sonoridade no cinema, ou da própria questão do cinema em si, deve haver algo de importante, ou até mesmo essencial, para se captar. No entanto, Alexandre Sokurov (ou a montagem de Anne Gigleux) não é exatamente didática. É necessário, assim como o trabalho do próprio diretor-tema, sentir a ação antes dela acontecer. O resultado, como um todo, é no mínimo inspirador.

Autor de inúmeros curtas e longas, incluindo diversos documentários e já citada A Arca Russa, um filme de 91 minutos gravado em uma única sequência dentro do Museu Hermitage, Sokurov aparentemente encara o aspecto psicológico da ação como a própria ação, o que explicaria as cenas inertes que são usadas como exemplos de sua cinegrafia e que ilustram seu ponto de vista no decorrer de seu discurso.

A primeira impressão ao acompanhar seu monólogo é uma sopa de conceitos que vai e vem e chega a apresentar um tédio terrível, que vai se apoderando do espectador em seus exaustivos 61 minutos. Porém, a boa notícia é que o conjunto da experiência é satisfatória como reaprendizado do que é Cinema sob a ótica de um diretor consagrado, que sequer considera a sétima arte uma arte de fato, por não possibilitar o “controle absoluto” do artista.

Esse controle que ele se refere, porém, consegue ser visto na maioria dos seus exemplos, com o uso de luz, câmera e efeitos sonoros. Muito do que é visto se mistura com as divagações do diretor, mas o exemplo mais completo, ou pelo menos central no debate sobre a família e o povo russo, é um quadro lentíssimo em que vemo um trem se aproximar e percorrer todo o horizonte enquanto um garoto observa logo à frente. Se o acompanhamento do espectador desse quadro não é o controle absoluto que Sokurov desmente, não sei mais o que é.

Aleksander Sokurov: Uma Questão de Cinema ● Aleksander Sokurov: Uma Questão de Cinema. Alexandre Sokurov: Questions de cinéma (France, 2008). Dirigido por Anne Imbert. Escrito por Anne Imbert. Com Aleksandr Sokurov. ● Nota: 3/5. Categoria: movies. Publicado em 2011-10-24. Texto escrito por Caloni. Quer comentar?