As Flores de Kirkuk

Caloni, October 25, 2011

External image

A aparente originalidade desse filme situado na história do Iraque sob o comando do ditador Saddam Hussein, que promoveu uma matança de povos que não apoiavam seu regime, reside no seu diretor italiano e em sua estrutura formulaica, que lembra romances novelescos, mas que aparece erroneamente embutido em uma atmosfera de drama e desolação.

O núcleo da história gira em torno do amor incondicional entre Najla (Alaoui) ? de uma família influente e fiel a Saddam, e Sherko (Eser) ? um médico descendente de curdos, um povo inimigo do ditador. Fornecendo uma introdução que parte direto para um flashback gigante, que se torna a história contada no filme, os momentos de romance do casal contam com diálogos extremamente piegas e vexatórios, sem contar na interpretação novelesca do casal, que passa a sensação de ter sido construído com essa intenção.

Para reforçar essa impressão, as cenas da primeira parte são montadas de acordo com uma narrativa teatral, com a câmera em mãos, sempre enquadrando o cenário como se fosse um palco (ou seja, o movimento dos atores quase sempre ocorre em apenas um quadro). As próprias falas já citadas também corroboram essa teoria, principalmente as da protagonista com seu amante, que soam desnecessariamente clichês e quase surreais se contextualizadas com o clima de conflitos internos que o povo vive. E o que falar do vilão canastrão, que deseja se casar com ela, possui posição de status e mesmo assim nunca consegue fazê-la sentir medo (nem a nós)?

Talvez a intenção original tenha sido mesmo tornar o filme uma espécie de conto de fadas, pois a própria fotografia aparece muito mais colorida do que deveria em um território desértico (e, portanto, inóspito). Porém, a tentativa de soar como fuga da realidade não esconde a maior falha do longa, que é nunca se localizar em um gênero principal que o defina, o que termina por enfraquecer ambas as histórias, que soam independentes e nunca transitam organicamente: o massacre histórico ocorrido no país e o romance cafona do casal de namorados.

As Flores de Kirkuk ● As Flores de Kirkuk. Golakani Kirkuk - The Flowers of Kirkuk (Italy, 2010). Dirigido por Fariborz Kamkari. Escrito por Fariborz Kamkari, Naseh Kamkari. Com Morjana Alaoui, Ertem Eser, Mohamed Zouaoui, Mohammad Bakri, Maryam Hassouni, Ashraf Hamdi, Falah Fleveh, Shilan Rahmani, Sarkaw Gorany. ● Nota: 3/5. Categoria: movies. Publicado em 2011-10-25. Texto escrito por Caloni. Quer comentar?