O que acontece com um programador com pressa
Wanderley Caloni, 2008-10-05: devaneando

Eu já sabia, mas é lógico que não ia falar.

Há um tempo atrás um rapaz me pediu para responder uma série de questões sobre a carreira de programador C++. Era um rapaz empolgado com a idéia de aprender a linguagem em seis meses, com um roteiro, cronograma e um blogue recém-criados.

Como quase toda uma geração do imediatismo, aconteceu o inevitável: o blogue já não é atualizado há quase dois meses e toda aquela empolgação do começo deve ter virado fumaça assim que a pessoa vira a esquina e aparece uma coisa nova para fazer. E daí surgem as desculpas, o blá-blá-blá de todos aqueles que nunca têm tempo.

Eu sou um deles, mas de vez em quando atualizo esse meu espacinho =)

Os projetos que nunca acabam

Na experiência de vida que tenho com todas aquelas idéias mirabolantes que as pessoas possuem de fazer alguma coisa, seja um software, aprender algo novo, ou até criar uma rotina qualquer, eu diria que quase todas, se não todas, falharam.

É natural que no começo, quando a idéia brota, e mais idéias formentam a idéia original, o empolgamento nos dá a falsa impressão que podemos fazer isso facilmente, e que é só planejar, ter vontade e ir em frente que conseguimos. É claro que toda essa impressão muda com o passar do tempo, principalmente para aquelas pessoas que possuem muitas idéias em muito pouco tempo, algo que acontece bastante com programadores, mas que em geral afeta todo mundo.

Em se tratando de software, a primeira coisa que deve ser feita, sempre, é planejar as tarefas visíveis a serem feitas para esboçar um panorama possível para o futuro do projeto. Eu disse possível no sentido de realizável.

O segundo passo é esquecer esse negócio de realizável, cair na real e encarar os fatos: o mundo não é perfeito. Comece a colocar defeitos no cronograma, tentar imaginar o que vai sair errado e, principalmente, conhecer você mesmo e as pessoas envolvidas para ter a real expectativa do que pode ser feito em quanto tempo.

Porque em um cronograma a única certeza que temos é que tudo vai dar errado

Após jogar água fria o suficiente (às vezes são necessários muitos baldes) sobre suas idéias novas e excitantes, temos um panorama um pouco mais preciso, mais realista e, agora sim, passível de ser feito e acontecer de verdade.

Só que ainda não acabou.

É claro que isso tudo é o começo do projeto. Após a primeira semana, o primeiro mês, o segundo mês e o segundo semestre as atividades devem ser revistas e reprojetadas. Mais uma vez entra a regrinha da água fria. Não é porque deu errado no começo que não pode dar mais errado ainda no final.

Esse pequeno chamado foi apenas um reforço do apelo que Rodrigo Strauss fez em nosso último encontro de C++. Nosso grupo precisa de mais pessoas que escrevam algo. Portanto, façam blogues, mas não os deixem desgarrados!