Cats é obra de arte incompreendida

Antes de tudo preciso fazer um mea culpa pelas maldades que comentei em meu primeiro review, dizendo que este é um dos piores filmes daquele fatídico ano de início de pandemia. A primeira vez que assisti este clássico da cinegatografia internamiau eu não sabia o quão longe estava do senso estético e artístico de uma obra que vai além do nosso tempo.

Hoje eu consigo dizer tudo que queria dizer a primeira vez: Cats é o melhor filme da década.

Para chegar a essa conclusão é preciso, contudo, trabalhar essa nossa questão com o preconceito furry. Nem todos nós sabemos, mas essa tendência de colocar orelhas e rabos nos corpos das moçoilas de internet é sinal de uma revolução na forma de entender a arte e de se relacionar com o mundo que vivemos. Siga o raciocínio comigo.

Antes nós tínhamos apenas a visão e a audição para assistirmos uma história na sala escura. Hoje há o olfato e o tato. O olfato nos ajuda a cheirar as obras de arte mais de vanguarda. E com o tato vem o inevitável sentir de pelos. E quem não gostaria de ter a sensação na ponta dos dedos desses seres peludos e mágicos que cantam maravilhas enquanto se apresentam diante da telona ou telinha?

Hoje revendo Cats quase não consigo conter minha fascinação por essa obra perfeita e sobreumana. Miau. Me sinto em CATarse. Que filme cantástico!

Wanderley Caloni, 2022-04-01 14:09:24 -0300

blog movies discuss