Cidadão Kane

2019-07-09 · 3 · 496

Este ainda é um rascunho publicado prematuramente e está sujeito a mudanças substanciais.

Cidadão Kane ainda é relevante esses dias? Votado por cinco décadas como filme mais influente pela associação de críticos mais respeitada do mundo, sendo desbancado finalmente por Um Corpo Que Cai, a única coisa que eu peço antes que você responda essa pergunta é: assista o filme sabendo que quase nenhuma de suas trucagens ou efeitos de montagem e mise en scene existiam antes dele, mas logo depois todos começaram a copiar.

Assista também sabendo que seu roteiro já havia sido reconhecido naquela época, mas até hoje há discussões em torno dele e sobre quem era, de fato, Charles Foster Kane, já que tudo que temos é o depoimento de pessoas relacionadas a ele de maneira negativa ou no mínimo complexa.

Assista também sabendo que este foi o trabalho inicial de Orson Welles, a quem foi dado pela RKO liberdade completa após ele chacoalhar o mundo ao narrar no rádio ao vivo parte da história de Guerra dos Mundos e as pessoas ficaram aterrorizadas com a invasão alienígena. Welles sabia exatamente o que queria e se tornou o cineasta mais interessante e mais jovem a ser seguido.

Citizen Kane, apesar de tudo isso, hoje é visto como um filme chato e até confuso, além de ser em preto e branco. Não se dá a mínima para ele, e já assisti versões lançadas em VHS e DVD onde sequer o áudio estava sincronizado corretamente.

Este é um filme ainda da época da tela quase quadrada, e Welles usa cada centímetro à sua disposição para criar os enquadramentos mais inspirados até então vistos. Kane recebe uma notícia que o diminui conforme ele se aproxima de uma janela cujo parapeito está acima de sua cabeça, tornando-o minúsculo. Mas logo em seguida ele recebe outra notícia que o coloca de volta ao seu status, e ele se aproxima da câmera e dos homens que estão com ele, tornando-o por contraste um gigante.

A mesa onde ele e sua primeira esposa comem vai aumentando no decorrer dos anos, e isso acompanha os diálogos entre os dois, cada vez menores e trocando farpas. No final do casamento ela está lendo o jornal concorrente e eles sequer trocam um olhar fulminante entre eles.

Kane é essa figura multifacetada que todos somos, e ele passando entre dois espelhos apenas evidencia isso. E como todos nós, apesar de ações grandiosas ansiamos pela felicidade simples e inalcançável de nossa infância, como o significado de Rosebud finalmente nos revela, a nós, espectadores, e não ao jornalista ou a qualquer outro personagem da história, revelando também como morremos criaturas solitárias e incompreendidas.

Um Corpo Que Cai, o próximo melhor filme do mundo, ironicamente aborda o mesmo tema da ambiguidade da existência e como somos seres solitários nesse mundo buscando sentido, nem que seja nos outros, que é o melhor que temos. O Cinema é a cópia imperfeita e dúbia da realidade. E é por isso que ambos os filmes estão na lista do expoente máximo da sétima arte.

Citizen Kane (United States, 1941). Dirigido por Orson Welles. Escrito por Herman J. Mankiewicz, Orson Welles, John Houseman, Roger Q. Denny. Com Joseph Cotten, Dorothy Comingore, Agnes Moorehead, Ruth Warrick, Ray Collins, Erskine Sanford. · IMDB · Letterboxd · More Details · cinema · draft · movies · Twitter ·