Restaurante Daiki Sushi

2019-09-29 · 2 · 396

Este ainda é um rascunho publicado prematuramente e está sujeito a mudanças substanciais.

Daiki Sushi é um restaurante para você renovar suas esperanças de restaurantes japoneses em São Paulo, capital. Ele não é rodízio, não quer entuxar o bucho de seus clientes com salmão de qualidade duvidosa. Ele não é grande, não quer perder o controle de seus pratos. Ele é bem servido, com uma modesta e eficiente seleção de saquês e pratos que lembram a verdadeira essência da culinária japonesa: sabor.

A começar pelo shimeji, esse prato de cogumelos quentes que geralmente estão emborrachados e umedecidos com algum molho para ter gosto. O do Daiki Sushi realmente tem gosto. A única coisa que é preciso colocar na boca é o cogumelo. Está perfeito assim.

Outra combinação que costuma falhar em SP é o sushi com tarê. Esse molho agridoce só funciona se houver sabor que dispute a atenção com o doce, e nesse caso toda a combinação de arroz, cream cheese (fresco) e o molho agridoce com um peixe grelhado geram um diálogo de sabor que começa explosivo e vai se transformando, variando entre o levemente doce, a textura suave do queijo e a harmonia perfeita entre arroz e peixe.

Por falar nisso, os sushis com peixe e arroz vêm na combinação certa. Não é necessário colocar wasabi ou shoyu. Dê uma chance ao chef. Aqui ele sabe o que está fazendo.

Sashimis de peixe com tamanho carnudo e firme, sashimis de polvo que guardam a textura característica com o favor do mar ao final e skins que vêm intenso como deveriam. A rodada principal faz lembrar porque a culinária japonesa é tão requisitada. Nós, paulistanos, nos esquecemos disso nos infinitos rodízios com cebolinha e cream cheese industrial.

Experimentei o saquê que estava escrito no cardápio para os “bons bebedores”, o Hakushika Harakuchi, seco e intenso, com final levemente amargo. Aprendi a importância da temperatura fria. Deve ser um saquê muito requisitado, pois acabou a garrafa. Tivemos que pedir outro mais comum, doce e suave, e mais frutado, o Hakushika Yamadanishi Honozo. Os saquêws Honozo se chamam assim porque há adição de álcool destilado (no máximo 30%) e o polimento do arroz mínimo também de 30%. Não entendo nada de saquês, mas este combinou bem com a comida, apesar de obviamente mais leve que o Hakushika Harakuchi.

Tudo funciona nesse restaurante no bairro Vila Mariana, quase em frente à Cinemateca. Ir uma vez é certeza de querer voltar.

· blog · draft · food · Twitter ·