Gainsbourg - O Homem Que Amava as Mulheres

Serge Gainsbourg é o icônico músico que criou aquela música inesquecível sobre amor lascivo: Je t'aime... moi non plus. Essas poucas notas mescladas com sons de prazer incompreensível pela racionalidade, mas palpável de todos os ângulos pelo nosso ser interior, é um dos ápices na história da música recente que merece ser celebrada. Gainsbourg também merece ser celebrado por dois motivos distintos: 1) por ter criado inúmeras músicas fora a já citada que misturam gêneros e chacoalha nossa percepção de mundo ordenado, e 2) por ter participado na geração de sua filha Charlotte Gainsbourg, uma atriz francesa que gosto muito. Bem feito, Gainsbourg.

O ator Eric Elmosnino incorpora o músico de tal forma nesse trabalho de Joann Sfar que você olha as fotos do verdadeiro e fica na dúvida se foi ressucitado para fazer o filme. E o diretor, Joann Sfar, se baseou em sua própria obra nos quadrinhos para pincelar um filme que brinca com nossas percepções do real de uma forma bem-humorada, criando um alter-ego que lembra o pior dos pesadelos nos dias de hoje: um judeu.

A biografia de um músico já ganha de brinde suas músicas. Mas esta é uma incursão boêmia em torno de mulheres fantásticas. Possui o charme dos anos 60 falado em francês. Há uma narrativa fluida e desconexa, embora cronológica, que agrada por harmonizar o tino comercial da empreitada com um pouco de escapismo artístico para dentro da mente de um dos grandes criadores musicais que não se limitava a gêneros. Um trabalho coeso e solto ao mesmo tempo. Divertido e sagaz. Não muito profundo, talvez. Um pecadilho.

Wanderley Caloni, 2021-12-05 21:28:09 -0300

reviews movies discuss