Juacas

2017-05-18 · 2 · 368

Este ainda é um rascunho publicado prematuramente e está sujeito a mudanças substanciais.

A nova série da Disney, Juacas, tem todos os elementos que você esperaria de um conteúdo tipicamente Disney. Focado em uma galera jovem e despreocupada, há moças e rapazes em um clima descolado e um ambiente que lembra um pouco a novela Malhação, mas que ensaia contar uma história mais minissérie.

Ela se passa na praia de Itacaré, na Bahia, e deve impulsionar o turismo na região. A areia e as águas parecem límpidas e próprias para o surf. Há um campeonato tradicional entre equipes por lá chamado CAOSS. Algo como Campeonato Alguma cOisa Sobre Surf cuja sigla tem duplo sentido. Os últimos vencedores, os Red Sharks (do inglês Tubarões Vermelhos, o que eu imagino também ter duplo sentido) são os favoritos e os bad boys da região. Daí chega o filhinho de papai que tem uma missão a cumprir. Ele é o escolhido para resgatar o legado dos Juacas, a equipe campeã do passado e gente boa, além de ótimos surfistas.

Ele então foge do curso que o pai empresário preparou para o filho na fria Londres para as paradisíacas águas baianas e monta junto com dois surfistas muito bons, mas fora do circuito, a equipe que irá tentar vencer o campeonato, apesar do amadorismo, das dificuldades e possivelmente dos planos malignos dos equipados e bem preparados Red Sharks.

Bom, já deu pra notar o quão maniqueísta tudo isso parece, não? Porém, além dessa estrutura obviamente inspirada na televisão, há atuações divertidinhas que prometem entreter sem ofender demais o espectador pensante. De qualquer forma, é algo muito difícil de prever em três episódios que nos foram ofertados para sentirmos o gosto da série. Ela basicamente parece passear entre pequenos conflitos que são quase sempre resolvidos trinta segundos depois, conta uma piada e parte pra próxima.

No meio disso ainda há a apresentação de personagens secundários, como o radialista e a dona da lanchonete, dois mistérios, um a respeito do paradeiro do professor Juaca e o outro em torno de um mapa do tesouro nas mãos das duas crianças da série, que também fazem pontas de humor. É uma série simplória feita para entreter, com um cunho familiar que só a Disney hoje em dia consegue ainda oferecer.

· cinema · draft · series · Twitter ·