MIB: Homens de Preto

Wanderley Caloni, 2020-12-12.

Revisitado, MIB cheira a anos 90. Tommy Lee Jones está fabuloso como o funcionário de uma agência de relações intergalácticas que se diverte apagando a memória das pessoas até se cansar e voltar para sua amada. Will Smith repete seu personagem da série Um Cara no Pedaço misturando ginga hip-hop e uma força de vontade incompreensível de ser um policial. Ambas as aspirações não são harmônicas. O único momento que entendemos sua motivação é quando ele conhece a gracinha da legista, que irá descobrir que existem mais anatomias no universo do que sua vã filosofia compreende. Oscar ou indicação de efeitos visuais e maquiagem mais que merecidos. Mais de 20 anos depois o filme funciona. Desde então Tommy Lee conseguiu refinar sua persona em trabalhos intimistas, enquanto Will Smith inflou seu ego do tamanho da galáxia e investe seu tempo em grandes produções onde é ele mesmo ou em produções menores onde é uma pessoa muito sábia e altruísta. O plot twist que ele não descobriu é que a galáxia comparável com o tamanho de suas capacidades de atuação é equivalente ao do filme.

draft