Micmacs - Um Plano Complicado

A fotografia fabulosa de Amélie Poulain também cabe nessa fábula em que um homem, Bazil (Dany Boon), sofre uma dupla injúria em sua vida: a morte do seu pai por uma mina terrestre e uma bala em sua cabeça durante um tiroteio. Então ele resolve se vingar de ambas com o mesmo plano.

Com os mesmos enquadramentos exagerados como em Amélie, mas sem a sua graça, Jean Pierre parece acreditar que o mesmo modelo pode servir a mais de um filme, e nesse caso parece acertar parcialmente. Digo parcialmente pois, enquanto em Amélie sua infância explique suas constantes fugas da realidade e seu caráter idealista, aqui o herói assume essas características sem possuir um passado que o justifique. Pior, ao ser adotado posteriormente por uma trupe de moradores de rua que parecem ter saído da mente criativa da protagonista do outro filme.

Embora ou por causa de nunca revelar a estratégia de Bazil por completo, a história torna-se fascinante pela criatividade com que é conduzida, nunca soando por demais exagerada, apesar de sempre estar no limite da ousadia, mas que recebe a bela explicação da trupe, circense na alma e sem muito o que perder na vida.

A capacidade do filme de entreter é tanta que até nos esquecemos do real objetivo do herói, o que pode soar preocupante pois existe drama em sua história. Só que em vez de drama o que vimos são exercícios de relaxamento quando ele, ansioso, parece perder a respiração, e que mais uma vez inevitavelmente relembram a figura idealista de Amélie Poulain, principalmente por estarem esses inseridos como mera curiosidade, sem conexão com o que está ocorrendo na tela.

Wanderley Caloni, 2010-12-20

movies discuss