O Amante

2020-03-28 · 2 · 338

Este ainda é um rascunho publicado prematuramente e está sujeito a mudanças substanciais.

Eis um filme perfeito do início ao fim. Seu início é enfadonho e preguiçoso, mas no primeiro momento em que este milionário chinês e esta ninfeta europeia se encontram na cama de um quarto sujo de um bairro pobre e distante dos grandes centros, ele nunca mais volta a ser enfadonho.

Sua história é bem direta: é um Lolita realista, épico, mostrado do ponto de vista de uma garota de quinze anos e meio em uma situação completamente diferente. É uma obra quase autobiográfica de Marguerite Duras, que viveu no Vietnã no início do século na pobreza com seus irmãos e a mãe, e já revelando seu final no começo do filme, se tornou a escritora que tanto desejava no início de sua vida. Ao custo de, de acordo com suas palavras, “ter envelhecido completamente aos 18 anos”.

A relação entre ela e o chinês é puramente sexual. E este só pode ser um filme biográfico, pois os detalhes com que eles fazem sexo só pode ter saído da cabeça de quem realmente teve essa experiência. Nunca um filme antes havia mostrado o ato conforme ele acontece, e agora, graças à ajuda do diretor Jean-Jacques Annaud e o roteiro de Duras, temos um exemplo concreto, paupável e inesquecível. Não há freios morais aqui como no Ocidente contemporâneo que pare essas descrições visuais.

O achado do filme foi Jane March, uma modelo que em seus dezoito anos protagoniza com propriedade a estrangeira ninfeta que faz o papel da estrangeira em um mundo exótico. Não há muitos personagens, e sequer há nomes para os dois principais. Há apenas a descrição visual e narrativa, um tanto brega, mas eficiente, e a percepção do espectador do que pensar sobre tudo isso. Nossa mente caminha livre pela beleza desse Império dos Sentidos adolescente.

Cinema é sexo, como já sugeria a crítica Pauline Kael, nos títulos dos seus livros e no prazer que lhe era proporcionado pelos anti-heróis que subvertiam a ordem moral. E O Amante é o filme que ela adoraria escrever sobre.

The Lover (France, United Kingdom, Vietnam, 1992). Dirigido por Jean-Jacques Annaud. Escrito por Marguerite Duras, Gérard Brach, Jean-Jacques Annaud. Com Jane March, Tony Ka Fai Leung, Frédérique Meininger, Arnaud Giovaninetti, Melvil Poupaud, Lisa Faulkner. · IMDB · Letterboxd · More Details · cinema · draft · movies · Twitter ·