O Legado de Júpiter

Estou adorando esse modo de título aleatório que a Netflix criou nas TVs LG (não sei se tem em mais algum dispositivo). Basicamente você clica em seu perfil e o serviço de streaming vai passando títulos "aleatórios". Você pode pular para o próximo em um clique do controle remoto. É como ter o modo TV de volta, com as vantagens de não ter comercial e tudo começar do começo.

Por que estou falando isso em uma nota sobre Jupiter's Legacy? Porque foi assim que esse título apareceu para mim. Eu não clicaria nele de livre e espontânea vontade, nem se estivesse muito entediado. Mas o título aleatório me libera de ficar vendo trailers sem fim e vai direto ao ponto.

E o ponto dessa série adaptada de um graphic novel ou algo do tipo é contar a história de heróis que são filhos de um super. Começa contando com eles crianças e depois avançam no tempo e dão várias dicas de que esse é o garoto, aquela é sua irmã. O roteiro preguiçoso de sempre, mas pode ser outra coisa.

Produções caras como essa precisam convencer o espectador que está com o cérebro desligado babando no sofá. Essa é a explicação mais sensata. A estrutura dos primeiros cinco minutos é muito próxima de três ou quatro produções do gênero, e não há um pingo de empatia em acompanhar essas pessoas.

O resto do episódio eu não sei como foi, pois parei por aí. As vantagens da TV com controle remoto. Agora de volta com essa opção de títulos aleatórios. Melhor coisa que a Netflix lançou há muito tempo.

Wanderley Caloni, 2021-05-15

blog draft discuss