Quanto Mais Quente Melhor

2020-04-18 · 1 · 205

Este ainda é um rascunho publicado prematuramente e está sujeito a mudanças substanciais.

Marilyn Monroe era bojudinha. Não quero dizer gorda. Bojudinha, mesmo. Não é aquele corpo magricela das mulheres de hoje idealizadas como o modelo de mulher forte, independente e sem graça. Monroe é ela mesma, o que incluir não ser muito boa atriz. Mas tem um certo carisma. E curvas. Imperfeitas, mas, graças a Deus, curvas.

Jack Lemmon, como sempre, tem seus momentos brilhantes. Em 5 segundos ele consegue transformar uma cena manjada em um espetáculo de expressões. É inacreditável como uma piada espontânea surge do nada, sem falas para suportá-la. Não é quando, disfarçado de mulher, ele diz que vai se casar com um milionário velho, mas o jeito que ele diz. Sua áurea é cômica. Quando Lemmon está em seu melhor é a sua alma que fala no lugar do roteiro.

Esta comédia de Billy Wilder mistura ação, gângsters e música, mas não consegue fugir dos diálogos como base. Não envelheceu bem. É simpática no melhor dos casos. Um pouco longa demais, como Irma la Dulce. Mas trabalhos posteriores de Wilder na direção e roteiro, como Se Meu Apartamento Falasse, já demonstram mais maturidade em seus personagens. A comédia escrachada, quando não é conduzia por Buster Keaton ou Charlie Chaplin, tem prazo de validade.

Some Like It Hot (United States, 1959). Dirigido por Billy Wilder. Escrito por Billy Wilder, I.A.L. Diamond, Robert Thoeren, Michael Logan. Com Marilyn Monroe, Tony Curtis, Jack Lemmon, George Raft, Pat O'Brien, Joe E. Brown. · IMDB · Letterboxd · More Details · cinema · draft · movies · Twitter ·