A Filosofia de Rick And Morty: Primeira Temporada (anotações)

2017-10-21 · 4 · 651

Este ainda é um rascunho publicado prematuramente e está sujeito a mudanças substanciais.

Reassistindo a Primeira Temporada de Rick & Morty para revisar alguns pontos filosóficos fascinantes da série. Acabei vendo a Segunda Temporada e, como já acabou, a Terceira também. E a terceira é provavelmente a melhor de todas. Vejam! Eu sou Pickle Rick!!

  • S01E01 Rick comenta no piloto que eles não sabem o que é mais importante. Precisa de uma semente para ficar mais inteligente para fazer mais ciência. Isso meio que planta a semente da dúvida se Rick é absurdista, niilista ou simplesmente um cientista fanático.

  • S01E02 Episódio sobre cachorro inteligente levanta a questão de não ser errado desligar uma consciência que foi adquirida por outro ser (que poderia ser uma máquina). Também brinca com o conceito de A Origem e Fred Krueger (uma versão segura de um filme dos anos 80). E seus medos são os de um adolescente.

  • S01E03 Episódio de natal é um Papai-Noel mendigo que bebeu demais. Dentro dele há um parque de anatomia, fala sob os desejos do Morty de catar a minazinha e um subplot que brinca com besteiras como auto-sacrifício. A melhor parte é sobre o espírito de natal quando Jerry descobre que o negro amigo de seus pais é amante de sua mãe, ou que sua filha tem um namorado. A explosão do papai-noel gigante em pedaços e a chuva de sangue é uma metáfora para o corpo/sangue de Cristo sendo compartilhado entre os cristãos, e como ninguém liga para os que precisam de ajuda.

  • S01E04 Episódio sobre simulações consegue ao mesmo tempo levantar a questão se eventos significativos de nossa vida continuariam assim se soubéssemos que estamos em uma simulação (Jerry novamente), e ainda tem a questão de como uma raça avançada ainda tem vergonha da nudez (alegoria dos estúpidos americanos?).

  • S01E05 Morty tem sua aventura como principal e vai na terra de gigantes. Lá descobre que uma aventura não tem muito sentido por ela mesma, e é traumatizado ao tentar ser estuprado (Thelma e Louise?). Já na terra os meeseeks precisam atender os desejos de um ser medíocre como Jerry, o que os leva à loucura completa. Como meeseks têm sua existência curta definida em atender um desejo e sumid, vem a mesma questão das vacas em Mochileiro das Galáxias. Rick aprende que é a postura diante dos eventos do mundo o que o torna melhor. Ele acena no final do desenho para nós, piscando sua existência.

  • S01E06 Múltiplos universos, Rick and Morty vão para um onde tudo foi consertado e eles morreram ao mesmo tempo. O nosso desejo por reprodução aparentemente está abaixo do super-homem que Rick decidiu ser quando aceitou o absurdo da realidade que vive. Referência a Cronenberg.

  • S01E07 Feminismo com piadas sobre mulheres no episódio em que eles vão para um planeta dominado por mulheres. Os homens são os seres mais violentos do universo e por isso elas criam um robô sexual para reprodução. Engraçado que Morty fica fascinado pela mulher-robô.

  • S01E08 O episódio sobre as diferentes alternativas a realidade coloca em xeque o significado de nossas vidas (como há na série infinitos universos e Rick & Morty originais morreram nessa versão, torna tudo mais real). Há uma baboseira sobre escolhas que fazemos (aborto) que podem ter alterado nossa percepção no futuro se era o que gostaríamos de fazer. O fato é que não vivenciar nossas infinitas possibilidades nos protege do arrependimento quando mais velhos. E como nada faz sentido em múltiplas realidades, por que não se divertir assistindo múltiplos universos?

  • S01E09 Episódio sobre Pluto (Plutocracia), onde os ricos drenam minério do planeta (que não é mais planeta) e ameaçam a vida de 4 bilhões de pessoas. Enquanto isso, Rick ameaça o negócio do Diabo em pessoa com ciência, desfazendo as maldições que ele coloca em cada peça de sua loja. Rick demonstra que se entedia facilmente.

  • S01E11 Últimos episódio da temporada é uma festa sem consequências. Isso porque quando vc pode parar o tempo nada importa.

Rick and Morty (United States, 2013). Com Justin Roiland, Chris Parnell, Spencer Grammer, Sarah Chalke, Kari Wahlgren, Dan Harmon. · IMDB · Letterboxd · More Details · cinema · draft · series · Twitter ·