O Sabor da Vida

Para quem buscar ele tem o nome internacional Sweet Bean e está entitulado na Amazon Prime como Sabor da Vida. E Sweet Bean é um drama leve, calmo, que se beneficia de sua edição de impor o ritmo necessário para pausarmos nossas super-ocupadas vidas e prestar atenção em pessoas invisíveis para a sociedade.

O chefe é um recluso, individado para o resto da vida por um erro do passado. Ele encontra uma senhora que está no final desse processo de isolamento social. Ao fim de sua vida, no entanto, ela aprendeu algo para passar adiante. E não é apenas fazer uma pasta de feijão doce perfeita, mas dar atenção aos detalhes que tornam o processo maravilhoso.

O direção e o roteiro de Naomi Kawase torna essa experiência baseada no romance de Dorian Sukegawa minimalista, talvez um pouco demais. É difícil se relacionar com o clichê da colegial com mãe solteira, e até mesmo a figura do chefe de cozinha solitário e amargurado fica monotônico, ele é quase uma representação mais geral. E, se formos pensar, a senhora Tokue também é, representando os leprosos do mundo.

Porém, a atuação naturalíssima de Kirin Kiri (Caso de Família) eleva o filme para sua observação em cena, maravilhados. Os diálogos ganham brilho, mesmo que não sejam geniais. A fotografia com filtro do Instagram merece uma segunda olhada, apenas por conta da atriz veterana. E sua história, nós assistimos o filme por ela. E porque queremos saber mais de seu feijão e onde está escondida.

Wanderley Caloni, 2021-06-12 00:00:00 +0000

reviews draft movies discuss