Temporal

Wanderley Caloni, 2020-04-11.

Este curta capenga foi o primeiro assinado por Jorge Furtado, diretor sulista de O Homem Que Copiava. Ele mistura toda a miscelânea de pensamentos pseudo-liberais-progressitas da juventude que faz faculdade de artes. Essa tentativa de ridicularizar a sociedade brasileira tradicional cristã pode dar bons frutos, mas Furtado e Goulart estão mais interessados em tentar ridicularizar ambos os lados. Uma festa a fantasia nos faz pensar quem está vestindo fantasia de fato: uma congregação cristã ou um bando de jovens desmiolados. E no âmago desse simples curta, os efeitos visuais são de péssima qualidade. Digno de um trabalho de conclusão de curso e para se divertir com os amigos, passando para eles e para impressionar as menininhas.

blog discuss