# Pão integral multigrãos [link]

2023-11-04 tag_cooking ^

Estou (estava?) com essa missão de fazer um pão integral próximo do pão que comemos no Casa Velha, restaurante nos confins de Camanducaia. Ele é um pão mais escuro que lembra australiano, mas mais gorduroso e massudo, cujo sabor vem mais da gordura. Sua massa é intensa e satisfaz bem, e seus grãos estão na medida certa. Ele não tem muita estrutura, se desmancha fácil. Fazer a reversa deste pão envolve pesquisar a respeito não apenas de pães integrais, mas tipos de multigrãos, australiano e receitas que em geral geram este ou aquele resultado. Comecei pelo básico do Amo Pão Caseiro que utiliza mais de 75% de hidratação, mas fiz todo torto. Não tostei nem umedeci os grãos, além de ter colocado menos água para tanta farinha integral. Usei fermento natural e ficou fermentando uma noite inteira na geladeira e um dia frio inteiro. Achei mais fácil de manusear na hora de colocar no forno, mas não cresceu muito. Ficou massudo, mas bom. Descobri que pão sempre fica bom se você cuidar bem dele.

2023-10-05 Resolvi deixar mais úmido desta vez, mas por algum motivo ele não ganhou estrutura mesmo com várias dobras espaçadas. Acho que a hidratação influencia nisso, pois a farinha não deve ter conseguido absorver tanta água. Ela ficou meio trouxa de um dia pra outro na geladeira e durante o dia inteiro seguinte fui fazendo novas dobras até começar a crescer. Então coloquei no recipiente menor e esperei dobrar de tamanho. Porém, a estrutura ainda ficou bem difícil de manusear e colocar na pedra do forno. Para piorar, coloquei pouco tempo e a massa encruou. Coloquei novamente cortada, mas o estrago já tinha sido feito.

2023-10-24 Continuando os testes de pão integral, fiz duas fornadas. Na primeira eu usei o fermento fresco que fiz a mais. Na verdade eu já tinha salgado e tudo quando descobri que era um exagero. Daí congelei para usar depois, mas ele está muito fraco. Porém, o problema dessa fornada com ele foi mais a falta de estrutura no pão. Minha sova não foi completa. Faltou rede de glúten e ele ficou massudo (apesar de ter crscdido e até assado). Essa lição aprendida é que farinha integral parece mais difícil de desenvolver glúten. Na segunda fornada eu usei fermento instantâneo, até um pouco a mais (1.5%) e ele cresceu muito rápido. Consegui desenvolver bem o glúten, mas batendo ele na bancada por muito mais que 10 minutos (não contei). No final ele cresceu como um balão, mas acho que deixei fermentar demais. Outro erro que ocorre com frequência, porque depois fica difícil de manipular e ele acaba murchando na hora de colocar no forno. Preciso trabalhar isso. São essas as anotações: sova mais consciente para massa integral e tomar cuidado para não ultra fermentar antes de assar.


# Bíblia Sagrada: Números

2023-11-04 tag_books tag_philosophy ^

O próximo livro da minha saga de ler a Bíblia é Números. Neste livro os judeus ainda estão presos no deserto reclamando como nunca para Jeová e ele está mandando ver nos castigos e nas regras esdrúxulas. Haja paciência, santo deus! O Senhor deixou a maioria de castigo, vagando por 40 anos no deserto. Eles vão morrer por lá. A maioria não chegará a ver a terra prometida e nem participará das guerras que estão rolando desde que os judeus invadiram de novo. Misericórdia.

> Todos os homens de Israel de 20 anos para cima, aptos para irem à guerra, foram registrados de acordo com suas famílias. No total, 603.550 homens.

> No segundo ano desde a saída de Israel do Egito, no vigésimo dia do segundo mês, a nuvem se elevou acima do tabernáculo da aliança. Então os israelitas saíram do deserto do Sinai e viajaram de um lugar para outro até a nuvem pousar no deserto de Parã.

> Que saudade dos peixes que comíamos de graça no Egito! Também tínhamos pepinos, melões, alhos-porós, cebolas e alhos à vontade. Mas, agora, perdemos o apetite. Não vemos outra coisa além desse maná!

> (...) maná era como semente de coentro e tinha aparência de resina. O povo saía e o recolhia do chão. Usava-o para fazer farinha, triturando-o em moinhos manuais ou socando-o em pilões. Depois, cozinhava o maná numa panela e fazia bolos achatados, que tinham gosto de massa folheada assada com azeite. O maná caía sobre o acampamento durante a noite, com o orvalho.

> Agora, digam-lhes o seguinte: ‘Tão certo quanto eu vivo, declara o SENHOR, farei com vocês exatamente aquilo que os ouvi dizerem. Todos vocês cairão mortos neste deserto! Uma vez que se queixaram contra mim, todos com mais de 20 anos que foram contados no censo morrerão.


# Encontrando o hive de aps UWP

2023-11-04 tag_reversing tag_windbg ^

Aplicativos UWP não possuem direitos de administração. Por isso eles não conseguem carregar um hive de registro como especificado pela API do Windows. A solução, portanto, é mudar o sistema operacional.

A Microsoft fez isso no Windows 7 inserindo a API RegLoadAppKey. De acordo com o Windows Internals:

The application can then mount the hive privately using the RegLoadAppKey
function (specifying the REG_PROCESS_APPKEY flag prevents other
applications from accessing the same hive). Internally, the function
performs the following operations:
1. Creates a random GUID and assigns it to a private namespace,
in the form of \Registry\A\. (\Registry forms
the NT kernel registry namespace, described in the “The
registry namespace and operation” section later in this
chapter.)
2. Converts the DOS path of the specified hive file name in NT
format and calls the NtLoadKeyEx native API with the proper
set of parameters.

Com essa informação podemos colocar um breakpoint na NtLoadKeyEx e saber onde fica o arquivo de registro de uma aplicação.

0:000> bp ntdll!NtLoadKeyEx
...
breakpoint hit!

Vendo algumas definições em docs na net:

NTSYSCALLAPI NTSTATUS NTAPI NtLoadKeyEx(POBJECT_ATTRIBUTES TargetKey,
  POBJECT_ATTRIBUTES SourceFile,
  ULONG Flags,
  HANDLE TrustClassKey,
  HANDLE Event,
  ACCESS_MASK DesiredAccess,
  PHANDLE RootHandle,
  PIO_STATUS_BLOCK IoStatus);
typedef struct _OBJECT_ATTRIBUTES {
  ULONG Length;
  HANDLE RootDirectory;
  PUNICODE_STRING ObjectName;
  ULONG Attributes;
  PVOID SecurityDescriptor;
  PVOID SecurityQualityOfService;
} OBJECT_ATTRIBUTES;
typedef OBJECT_ATTRIBUTES *POBJECT_ATTRIBUTES;
typedef struct _UNICODE_STRING {
  USHORT Length;
  USHORT MaximumLength;
  PWSTR Buffer;
} UNICODE_STRING, *PUNICODE_STRING;
; o apontado do segundo parâmetro mais offset 0x10
; o apontado deste mais o offset de dois ints (8 bytes)
; a string unicode para o qual ele aponta
0:000> du poi(poi(@rdx+10)+8)
000001f6`f7a24a60  "\??\C:\ProgramData\Microsoft\Win"
000001f6`f7a24aa0  "dows\AppRepository\Packages\Micr"
000001f6`f7a24ae0  "osoft.AAD.BrokerPlugin_1000.1904"
000001f6`f7a24b20  "1.3570.0_neutral_neutral_cw5n1h2"
000001f6`f7a24b60  "txyewy\ActivationStore.dat"

ergo:

"C:\ProgramData\Microsoft\Windows\AppRepository\Packages\

Microsoft.AAD.BrokerPlugin_1000.19041.3570.0_neutral_neutral_cw5n1h2txyewy\

ActivationStore.dat"

Podemos copiar este arquivo em um Windows com direitos de administração, abrir o regedit, abrir a chave USERS e escolher a opção "Load hive". Selecione o arquivo e voilà.


# Winnie the Pooh: Blood and Honey

2023-11-04 tag_movies ^

Este ursinho não está pra brincadeira. Ela vai sair matando todas as garotas neste suspense onde os bichinhos do garoto Christopher Robin são abandonados por ele e ficam mortos de fome, comem o burro e agora seguem seu instinto animal.

Puff e Leitão estão tocando o terror na floresta 100 Acres, e é pra lá que vai uma gostosa pra se sentir melhor depois de ter passado um trauma com um stalker. Ela leva, na ordem que vão morrer: a mais gostosa ainda e que se exibe no Instagram, as namoradas que vão morrer por fazerem sexo (olha as leis do Pânico), a nerd porque usa óculos (mas também é daorinha). No meio outras garotas aleatórias irão aparecer para sofrer juntas.

Este filme é muito ruim. Mas é difícil não gostar dele. É simpático de tão simples ou ridículas que são as cenas e a história como um todo. O roteiro não desenvolve nada, mas sinceramente nós nem queremos. É um slasher, pelo amor de deus. O negócio é o ursinho ir matando geral e as vítimas fugindo e se tocando que vai dar ruim.

O mais engraçado é como as cenas de ação são sempre desnecessariamente longas. Você fica vendo a mulher fugindo, ele vai atrás, ela foge, ele vai atrás e pega ele. Toda cena tem essa dinâmica de você achar que haverá alguma reviravolta, mas não: a cena é apenas longa porque alguém achou que gastaram uma grana nela e não vai cortar. Ritmo pra que, e a trilha já está paga também, pode tocar tudo.

A mesma coisa acontece com os diálogos. Quando as garotas descobrem que tem gente lá fora fazendo maldades elas conversam na sala sobre o que vão fazer. O ursinho escreve "vão embora" no vidro da entrada da casa. Uma delas, perspicaz, comenta: tem alguém lá fora. E eu acho que é a mesma pessoa que escreveu isso. Enquanto isso, a direção segue o mesmo princípio. Alguém fala alguma coisa e ele filma a nerd acenando sim com a cabeça. Logo outra pessoa fala outra coisa e a mesma nerd acena novamente que sim com a cabeça, quase uma comédia de erros. A lógica narrativa e visual são esse caos constante. E o filme acaba desenvolvendo um ritmo divertido. A falta de jeito em seguir os clichês do slasher vai te encantar. Não há uma cena sequer que valha a pena ter visto o filme todo, mas ao mesmo tempo foi muito bom assisti-lo. Eu pensei que nunca mais veria uma mulher de biquíni ser tão exposta no cinema e não ser um pornô. Há ainda esperança.

Eu me pergunto depois de ver essa atrocidade em forma de filme apenas uma coisa: quando vai sair a continuação? Ela está marcada já no IMDB.

Seu criador aproveitou a queda dos direitos autorais da obra original do ursinho e começou a produção logo depois. Houve vários cuidados, porém, para não haver menção ao ursinho da Disney, pois eles ainda estão segurando essa rapadura, provavelmente por mais algumas décadas. Maldosos dirão séculos.

A história da produção é genial, aliás. O rapaz trabalhava até 2021 em uma companhia elétrica e teve a ideia deste filme. Ele montou sua própria produtora e em uma parceria realizou as filmagens do projeto que escreveu, dirigiu e produziu. Após o que seria uma sessão única em alguns cinemas americanos virou uma nova estréia. O filme ganhou mais um pouco de dinheiro e algumas cenas foram refilmadas. Com isso o diretor teve seu filme mais caro sendo rodado até o momento com a quantidade exorbitante de 100k dólares. O resultado? 5 milhões nas bilheterias e mais um monte de projeto envolvendo o conceito de pegar personagens de histórias conhecidas e tocar o terror.

Esta é mais uma demanda reprimida pela indústria do audiovisual. Não são apenas as garotas de biquíni. Os direitos autorais capam boa parte da criatividade latente em produções que poderiam com certa facilidade até se manter e catapultar a imaginação de Hollywood para além de viver de prédios de advogados e processos e refazer o mesmo filme de fantasia com supers e naves e jedis todos os anos. Vocês ainda acompanham esta merda? Eu quero ver tudo isso sendo desconstruído.


# A Era da Estupidez

2023-11-04 tag_movies ^

Este documentário de crowd funding de 2008 é mais um daqueles alarmistas de aquecimento global (agora mudança climática). Ele cria um clima (punk intended) futurista como pano de fundo. Estamos em 2060 e um sujeito arquiva todo o conhecimento da humanidade em um local isolado. Ele fica revendo alguns vídeos com um certo tino para editor sobre alguns personagens do passado em momentos que eles tinham a noção do que poderia acontecer se não fizessem nada e mesmo assim fizeram ou não fizeram. Há vários lados nesse história, cada um representando um continente (menos o asiático, apenas Oriente Médio). Faz sentido, pois este é um filme sobre culpa ocidental, particularmente dos países ricos. Ele discorre sobre a história do petróleo, das desigualdades, da exploração e da alienação. É um apanhado dos últimos momentos da humanidade.

O que vem a seguinte consequência: o filme envelheceu mal. Dez anos depois já sabemos que as projeções sobre os fatídicos 2 graus de aumento de temperatura limite não serão atingidos (atuais 1.5) e 2060 não será tão tenebroso quanto no filme. Ou talvez seja, tem uma galera com sigla estranha que pode parecer pior que aquecimento global. Mas, enfim, era um filme ativista e cumpriu seu papel social. Você não acredita como eu dou risada desse meu comentário. Papel social. Ok. Mas é um bom filme. Um pouco sério demais visto por alguém do futuro. Talvez do passado também, já que as projeções tem essa característica de serem atualizadas desde os Malthusianos.


# A Incrível História de Henry Sugar

2023-11-04 tag_movies ^

No novo filme de Wes Anderson, um curta de pouco menos que uma hora, ele para de ficar movendo quadros em 2D e constrói profundidade literalmente colocando paredes à frente das paredes anteriores e inserindo elementos em cena. É dinâmico e isso é importante em uma história cheia de texto. É a leitura quase que literal (talvez seja mesmo) de um conto escrito em 1976 sobre uma descoberta das mais raras e que não possui consequência direta alguma.

Para quem não se lembra, Anderson é o diretor de O Sr. Raposo, Hotel Budapeste, A Ilha dos Cachorros, Moonrise Kingdom. Pronto, agora você entendeu o parágrafo sobre mover os quadros em 2D.


# Vozes Distantes

2023-11-04 tag_movies ^

Mais um filme do Supo Mungam Plus. Este da década de 80. É sobre as vissicitudes em família de uma das gloriosas épocas do patriarcado. Está na veia dos artistas mostrar esse cabo de força desigual entre homens e mulheres dessa sociedade ultrapassada. Há muitas canções populares sendo cantadas pelos personagens, que compõem um pequeno mosaico de tipos daquela época e os acontecimentos mais que repetidos – homens bebem demais e descontam nas mulheres. Pais autoritários brigam com suas filhas que ficam fora de casa até tarde. A fotografia é pálida para lembrar das fotos que nossos pais tiravam. Curioso.


# Sardela de berinjela de Chef Silvana

2023-11-04 tag_cooking ^

Na receita original vão 4 berinjelas, 300g de champignon, 3 cebolas roxas, 5 dentes de alho, salsinha a gosto, 50 ml de vinagre de maçã e páprica defumada a gosto.

Descasque a berinjela e pique em tiras finas. Coloque em um escorredor com bastante sal entre as camadas. Corte cebola. Lave a beringela. Na panela coloque bastante azeite, frite o alho, depois coloque cebola e a berinjela, deixe até murchar e estar macia; vá regando com azeite e mexendo. Coloque o champignon cortado e cozinhe mais uns 2 minutos. Coloque o vinagre e mexa até evaporar bem. Coloque salsinha e ajuste os temperos.

Sirva frio ou em temperatura ambiente. Fica ótimo como cobertura de fatia de pão, como uma bruschetta. Deve ficar bom também como o recheio.

Quando eu fiz não tinha champignon, mas ficou bom da mesma forma. Cortei tirinhas bem finas, como batata frita em palito bem fininha, para ser fácil de pegar depois. A mesma coisa fiz com a cebola.


# Aurora Colheita Tardia Branco

2023-11-04 tag_wine ^

Hoje foi a vez de abrir a garrafa branca. Nela havia as uvas Malvasia e Moscato, que nunca ouvi falar. A safra é de 2018 (!!!). Está mais doce que o tinto, mas não estragou apesar de 5 anos engarrafada. Um tanto forte demais, a Mitiko deu a ideia brilhante de tomar com gelo, o que nesse calor veio bem a calhar. Acabei tomando quase toda a garrafa.


# Vovó Ninja [link]

2023-11-10 tag_music ^

Parece um blog ainda ativo com torrents de diversas discografias e coletâneas. Baixei alguns para a viagem de fim de semana. Ainda analisando o site, mas já gostei da iniciativa.


# Coffee La Terraza

2023-11-13 tag_coffee tag_food ^

Paramos neste café rapidamente para comer e beber algo antes de visitar as vinícolas, então não pudemos sentar em uma mesa. No entanto, gostei muito do atendimento e do preparo das bebidas. Eu pedi um espresso e estava bom. O lugar parece aconchegante mesmo pequeno. Há bolos bem bonitos e sorvete. Iria de novo.


# Bodegas RE

2023-11-13 tag_wine ^

Esta é uma bodega com um espaço pequeno para visitantes, mas que parece sempre cheia. Quando fizemos a vista havia pelo menos mais três grupos.

Nosso host foi o Alejandro, que sabia português de ter convivido no Brasil, mas seguiu nosso desejo de ter o tour em espanhol para nós praticarmos e pela experiência. No final foi ótimo, pois deu para tirar dúvidas mais fácil e ainda ouvir o tour no idioma nativo.

Apesar da alta demanda é possível perceber que os guias são sempre muito simpáticos. A visita é rápida e passa apenas por uma instalação subterrânea com tanques e barricas, mas com alguns detalhes interessantes, desde a fabricação dos vinhos até o resultado na garrafa. Descomplicado, recomendo para iniciantes.

A degustação foi igualmente didática. Tivemos a chance de experimentar muitas taças de blends, uma especialidade da casa. Acabei levando uma para abrir com os amigos e duas reservas que estavam com um ótimo preço. Não achei nenhuma das garrafas com preço proibitivo. Inclusive essas reservas estavam por menos de 20 dólares cada.

Reservamos o tour com degustação com antecedência, mas foi uma coisa boa poder acertar o pagamento apenas no dia, pois entendendo melhor o modelo de taças ficou mais fácil cada um escolher quantos vinhos gostaria de degustar.


# Attilio & Mochi, passionate winemakers / Vina Tunquen Limitada

2023-11-13 tag_wine ^

Fomos recebidos pela Angela, proprietária de verdade da vinícola e brasileira. Quer uma prova melhor? Mal chegamos e ela nos pediu ajuda para mover as mesas e os vinhos do lugar por causa do vento. Ajudei a carregar as mesas para um local mais seguro, enquanto a nova sala de degustação, um dos poucos contêineres dispostos no terreno, não estreou.

Em seguida, chegaram mais e mais casais para o evento. Falantes de inglês, espanhol e português. O tour foi em espanhol, mas quando era necessário Angela traduzia para um ou outro idioma, além de nos dirigir a palavra em nossa língua materna, um mimo muito especial para nós, acostumados a bodegas hermanas e chilenas.

O tour conta a história deste casal de brasileiros que se aventuraram a montar uma vinícola em um país estrangeiro e fazer os próprios vinhos com as uvas que gostam. Você pode tirar todos os detalhes sobre a obtenção das sementes, cultivo do terreno, tempo envolvido, produção. É uma imersão não apenas na arte de fazer vinhos, mas de como montar o próprio negócio. E tudo isso em primeira mão.

Nós provavelmente já visitamos mais de 30 bodegas pela Argentina, Chile e Brasil. Posso dizer que esta é de fato uma experiência única. Você dificilmente irá encontrar uma vinícola semelhante, e tão próxima de Santiago.


# Fika Coffee Shop / San Martin

2023-11-13 tag_coffee ^

Entramos à noite neste café porque estávamos com um amigo que possui impulsos infantis. Ele gostou do ambiente, basicamente um salão com mesas, cadeiras, sofás, entrou e pediu um chai latte com batata frita e nuggets. Sim, eu disse que ele era infantil.

O atendimento foi muito cordial e ágil. O chai latte é, em sua opinião, o melhor que já tomou. Ele decidiu depois dessa noite procurar pela receita do melhor chai latte. Depois dessa noite nós fomos na manhã seguinte todos pedir por um chai latte. Não estava aquelas coisas (tinham acabado de abrir). Mas o atendimento continuou muito bom.

Mas, voltando àquela noite. As fritas murchas e gordurosas (provei duas) e os nuggets... nuggets. Eu sou fã de espresso. Estávamos em uma cafeteria especial. Pedi um. Veio um espresso bom, ligeiramente cremoso, doce, amargo, encorpado. Mas nada demais.

O resultado dessa visita foi que no dia seguinte visitamos a loja que produz o chai utilizado na cafeteria e que fica no shopping algumas quadras ao lado. Lotamos um pouco mais nossas bagagens para voltar para o Brasil. Chegando aqui vimos se tratar de apenas mais um chá de saquinho inflacionado. Sabor latte.


# Santuário de La Naturaleza Humedal de Tunquen

2023-11-13 tag_trips ^

Indo de carro até o estacionamento pago são apenas pouco mais de 1 km andando por uma trilha fácil. Nada desafiador. Depois a praia realmente é tranquila, mas mais por não ter nada mesmo. Para um santuário achei a areia e a água um tanto sujas, com uma espuma estranha. A areia estava com resquícios de carvão da fogueira que foi acesa no local. A lagoa usada pelos pássaros de migração cheirava mal. Há rastros de sujeira deixados por visitantes. A experiência mais legal foi pôr os pés no Pacífico, uma água com certeza bem mais gelada que o Atlântico, a qual estamos acostumados no Brasil.


# Taberna La Breva

2023-11-13 tag_food ^

Fomos em um horário ruim, no meio da tarde, para comer algo antes de pegar a estrada. O lugar estava bem tranquilo, quase vazio. Mas fomos atendidos muito bem. O ambiente lembra um pub e havia uma comida boa e não muito cara. Fomos servidos estranhamente rápido. Iria de novo quando estiver mais agitado para sentir o clima e quando tiver churrasco e poder beber um chope tranquilo.


# Viña Montes

2023-11-13 tag_wine ^

Estava um dia chuvoso, algo raro na região pela época, mas mesmo assim nossa guia conseguiu realizar um tour completo e muito informativo. Além disso, ela foi muito gentil em me ajudar em uma situação delicada por conta da distração minha em não saber o que seria servido durante a degustação. O tour em si passa por dentro da vinícola e um pouco de história e do processo de fabricação nos é explicado. Estávamos em um grupo grande de brasileiros efusivos fazendo perguntas de brasileiros e durante todo o momento a guia respondeu da maneira mais completa possível. Na degustação há uma certa competição para acertar aromas e sabores. Este modelo está um pouco ultrapassado, mas cabe bem como atração turística. De qualquer forma, fomos lembrados que estas impressões trazidas pelo vinho dependem muito mais da subjetividade de nossos sentidos do que de algo objetivo. Houve também uma conversa animada sobre o uso de rolhas de cortiça versus as screw caps. Eu gostei que nossa guia tinha formas mais personalizadas de explicar o motivo das coisas. Achei menos impessoal do que pensava que seria, até por ser uma vinícola grande e que se gaba dos vinhos. O passeio pelas barricas ouvindo música gregoriana é um misto entre patético e curioso. Outro traço que lembra outras vinícolas mais turísticas ainda, como Concha y Toro e seu famigerado passeio pelo Casillero del Diablo. Em tempo: os vinhos são gostosos, mas nada de mais. Levamos uma garrafa para abrir com amigos e pela curiosidade dos cantos. Pelo preço não levaria para mim. Não sou afeito ao estilo europeu, mais suave e sutil. Mas fui mais como um checklist.


# Fuegos de Apalta

2023-11-13 tag_food ^

Estava esperando uma comida diferente, mas além de muito bem feita não havia nada de mais. Exceto o preço bem alto. O ambiente é agradável por ser em uma vinícola, mas a construção não é das mais inspiradas. Cabe um monte de gente e quando fomos, um domingo, havia um monte. Mesmo assim, o atendimento foi ágil, cordial e no máximo correto. Mas a comida... depois desta irei passar adiante o livro que ganhei de aniversário, Siete Fuegos. Se esta é uma das cozinhas de Mallman, não vejo diferença entre um bom cozinheiro com marketing e um grande chef.


# Colchagua Museum

2023-11-13 tag_trips ^

Não estive em muitos museus tão grandes quanto este, talvez o de história natural de Nova Iorque, mas esse acaba ganhando em vários sentidos. Primeiro ele tem um ótimo vídeo de introdução sobre o que nos espera. Ele também tem uma assinatura, uma personalidade, de alguém que gosta muito da história do Chile e dos homens. Um colecionador compulsivo, talvez, pois cada uma das inúmeras seções contém pelo menos dezenas de itens; muitas centenas. Contudo, em vez daqueles lugares que apenas amontoam tranqueiras com um áudio ou texto didáticos, neste há paixão em organizar cada item com um propósito, além de uma cadência e uma lógica entre cada setor.

O ingresso te dá direito a 24h de visita, e se você pretende visitar cada setor, mesmo que não se atente a cada detalhe, irá precisar. Mesmo visitando cada setor com pressa já irá gastar pelo menos algumas horas. E vai encontrar um item ou outro que vai te fazer ir um pouco mais devagar. E vale a pena. Há detalhes escondidos em cada pedaço da história.

Tudo está organizado com muito esmero. Há vitrines maravilhosas que explicam passo a passo como certo instrumento era confeccionado. Há comparações entre tecnologias e culturas separadas no espaço e tempo, algo que nunca havia visto antes. E praticamente todas as peças do museu estão bem cuidadas. O roteiro e a coleção são tão fascinantes que em dado momento você até para de reparar se as peças são réplicas ou as originais, pois a didática da apresentação ganha os holofotes acima do fato de estarmos vendo algo original. E nos faz pensar até mais profundamente sobre a história de cada povo.

Quando se sai da casa principal e se pensa que acabou, ainda há atrações no pátio interno e em mais pelo menos três amplos quartos sobre outros temas ainda não vistos. E nos lembramos que isso foi anunciado lá no começo, no excelente vídeo de introdução. Enfim, este é um passeio obrigatório se estiver nas redondezas. Arrisco dizer que mesmo que não goste muito de museus, gaste um dia chuvoso ou frio para esta visita. Começará a gostar ou verá algo diferente que te fará pensar.


# Viña Santa Cruz

2023-11-13 tag_wine ^

Esta é uma vinícola para ficar o dia inteiro. Isso porque além do tour e degustação há dois museus sensacionais. Um é de automóveis (há uma seção também de motos) que cobre uma boa parte da história e das principais fabricantes em carrocerias e ambiente interno bem conservado. Não é possível ver o interior das carrocerias, mas logo na entrada, além de uma muito bem vinda taça de vinho de cortesia para beber durante a visita, há um automóvel cortado com detalhes internos de seu funcionamento.

O outro museu foi o que mais me chamou a atenção. Ele é sobre o vinho e possui tantos detalhes que é possível passar o dia inteiro lá. Desde o solo, fertilizantes, diferentes terrenos, origens históricas, castas das uvas, produção de barricas (antes e a moderna), análise química, tratores e maquinário para colher e tratar as uvas, categorização de aromas (com vidrinhos para cheiramos e percebermos esses aromas), história de viticultores chilenos famosos, coleção de saca-rolhas, de revistas e folhetos, de garrafas e rótulos. O que você tiver em mente será uma seção a respeito, e muitas vezes com a descrição de como é feito, a história. Nunca fui em um museu sobre um assunto tão completo e bem organizado.

E fora tudo isso ainda há o tour, com várias explicações e perguntas para os visitantes interagirem, como quantos tipos de uvas existem no Chile, ou para que servem as roseiras na frente das plantações. A degustação é com muita calma enquanto passeamos pelos corredores e pela sala de descanso dos merecidos vinhos. Um ponto muito positivo da organização foi colocar rápidos vídeos sobre cada fase no processo de fazer o vinho. Isso auxilia o guia a nos mostrar, por exemplo, como ficam as folhas das uvas em cada estação. Algo impossível de ver em uma visita ao vivo.

E além de tudo isso há ainda um teleférico que nos leva para a parte mais alta da vinícola e onde há um observatório (infelizmente fechado), uma lhama e mais dois museus sobre as histórias dos vinhos e dos aborígenes da Ilha da Páscoa. E o projeto megalomaníaco do proprietário, que também é dono do melhor museu da cidade, o Aconchaga, ainda está em andamento. É possível notar mais espaços sendo criados.

O local conta com um restaurante para não precisar se deslocar na hora do almoço. Nós beliscamos um prato de embutidos e queijos, além de algumas empanadas. Entre os queijos, surpresa, havia um cheddar inglês picante delicioso. Ah, e você pode levar a última taça da degustação para o restaurante para terminar.

Como vinícola este é um espaço que oferece muito, muito mais. Com certeza voltaria para passar mais um dia e acompanhar a evolução do local. A tempo: os vinhos não são tão caros e o tour tem um preço justo, considerando que dá direito aos museus.


# Quesos Chabelita de Lolol

2023-11-13 tag_food ^

Estávamos na Vina Santa Cruz ao lado e pensamos ser uma queijaria com visita, algo mais turístico. Na verdade, ela é a casa da produtora , a Chabelita do nome. As cabras ficam no terreno logo abaixo e ela mantém algumas geladeiras com a pequena produção de queijo. Para chegar lá fica no final de uma estrada que não é muito bem sinalizada, mas não é tão difícil de chegar. Difícil mesmo é saber que é lá. Fomos entrando meio que curiosos. Felizmente ela estava lá e nos recebeu com muita simpatia. Ela nos mostrou os queijos, alguns embalados a vácuo, então pudemos levar no vôo internacional de volta ao Brasil. Acredito que a fazenda tem um potencial turístico, ainda mais com a visita de famílias na bodega ao lado.


# Time Coffee

2023-11-13 tag_coffee tag_food ^

Este pequeno café fica na praça central do bairro. O espresso é bom e o atendimento é ótimo. Mesmo próximo de fechar, nos atenderam muito bem. É uma boa opção próximo do mercado.


# Blumen Coffee break

2023-11-13 tag_coffee tag_food ^

Que ótimo achado este café. Seu espresso é diferente. Ele não é cremoso, e você sente um pouco de pó como se fosse um café turco. E também é doce sem colocar açúcar. Tive que pedir mais. O atendimento é muito simpático e o ambiente é fofinho. Foi uma bela visita antes de partirmos da cidade.


# Café Como Pan

2023-11-13 tag_coffee tag_food ^

Eles têm sua própria massa madre e fazem seus próprios pães. Deliciosos. Eles têm pratos quentes e frios elaborados. É como uma padaria onde você pode ir no jardim dos fundos e passar por bons momentos. Na entrada há um bicicletário. O atendimento, no balcão ou na mesa, é muito simpático. O ambiente ao fundo é maravilhoso para relaxar. O café é gostoso, em vários formatos. Tomei o espresso e tomaria mais vezes. E comeria outros pratos.



# John Wick 4

2023-11-13 tag_movies ^

Este quarto episódio parece o segundo, pois é o segundo filme bem feito da saga que as termina de maneira honesta, embora não necessariamente boa. Há lutinhas e ternos à prova de bala no meio de espadas japonesas e lutadores de sumô junto de um assassino com mochila e seu cachorro. Mas a única coisa que fica é o rapaz cego que irá tirar a vida de Baba Yaga ou o que seja. E isso é um favor de amigo. Eles se cumprimentam um ao outro durante o filme inteiro. E Reeves bate o recorde de falas monossilábicas irrelevantes. O que todos queriam ouvir é como tudo isso começou porque mataram o cachorro dele. Não aconteceu. Mas o lápis assassino apareceu. Bom desfecho de história.


# La Saborosa

2023-11-13 tag_food ^

Antes, na Paulista, o sabor dos tacos era incomparável. Agora, com o novo ambiente, além da comida o ambiente ficou muito melhor. Mais amplo e com melhorias muito bem vindas no atendimento, como um qr code que você ganha para fazer mais pedidos para não precisar ir toda hora ao caixa (só que infelizmente nosso qr code não estava lendo, as charmosas fichas que entregam aos clientes com o código está se desgastando). Pretendemos ir mais vezes como fazíamos na Augusta. Recomendo fortemente o taco de carnitas; esse é top demais.


# Sobaria matogrossense

2023-11-13 tag_food ^

Conhecemos o sobá mato grossense da sua origem, em Campo Grande. Esta sobaria se aproxima muito do sabor regional. Apenas pela comida eu recomendaria uma visita. No entanto, após a mudança de local o ambiente ficou bem bagunçado. Parecem ainda estar em reforma. Além disso, as mesas só estão disponíveis no máximo até às 22h e para delivery até o fechamento às 23h. A comida também parece ter mudado um pouco. Fomos para comer no local, mas por ter passado das 22h não conseguimos. Até aí tudo bem, pedimos para viagem. Porém ao chegar em casa percebo que a quantidade de caldo é bem pouca para dois sobás (parecia no máximo um e meio rs). Além disso, pedimos a versão com carne bovina, e veio muito pouco de carne por cima. Dava para contar os pedaços. Não espere um prato bem servido. O caldo e a massa, porém, continuam bem gostosos, regados com uma tonelada de cebolinha. Também provamos os sorvetes, que ccknbecems em Campo Grande e que aqui não tem o mesmo sabor. É um pouco mais fraco. Os preços, porém, são os mesmos. Inflacionado.


# Jardim dos Pinhais Ecco Parque

2023-11-13 tag_trips ^

Este lugar parece abandonado. Apesar de pagarmos ingressos com um preço médio (40 e poucos reais adultos) os jardins decepcionam pela falta de informação sobre as plantas, além da falta de sinalização de onde começa um tipo de jardim e termina o outro. Algumas partes se dividem e não há mapa em nenhum lugar para você saber onde está e quanto falta visitar. Os únicos banheiros que encontramos estavam em péssimo estado e não parecia ser para uso do visitante. Para pessoas com mobilidade reduzida o local é só subida, e não há saída fácil. Não somos avisados disso na entrada, mesmo sendo a primeira vez que vamos. Há um belo mirante, acho que no meio do caminho, mas em uma ponte com cordas que não inspira confiança. A seção de dinossauros está largada, a atração chave do tiranossauro Rex está em manutenção. Enfim, não vale o preço ou o dinheiro investidos.


# Morro do Elefante

2023-11-13 tag_trips ^

Bonito mirante. Há um DJ e quitutes para comer. É o ambiente dos jovens que querem gastar dinheiro. Há a visão do trenó que permite passar o tempo. Os teleféricos de acesso transmitem confiança, mesmo o aberto. O preço, como tudo em Capivari, é uma bica.


# Q! Emporium - Vinho Café e Gastronomia em Taubaté

2023-11-13 tag_coffee tag_food ^

Este lugar é maravilhoso. O café, apesar de imponente e parecer custar bem caro, tem o preço justo. O café é sensacional, seja o espresso ou a degustação de coados. Os mini croissants, apesar de irregulares, são macios e amanteigados. Adorei o bolo do dia, com cobertura de doce de leite não muito doce. Os mini pães de queijo precisam melhorar, o sabor é insosso. O atendimento é excelente, tanto do café quanto do empório em anexo. A ideia de usar uma comanda para todos os ambientes é ótima. Depois quis arrumar o café que havia provado para levar para casa e o atendente do empório gentilmente foi confirmar qual era, além de se prontificar em tirar dúvidas sobre a imensa seção de vinhos que, confesso, não cheguei a visitar metade, mas já encontrei ótimos preços em vinhos argentinos e sul-africanos. Achei a seleção ótima. Parecem bem conservados. Acabei enchendo uma caixa com seis. Voltaria sempre neste lugar quando estiver próximo da região ou de passagem. Para tomar café é o lugar. Mas vi também que há open wine de noite. O pessoal de Taubaté está bem servido.


# Tank Girl

2023-11-20 tag_movies ^

O filme é ruim, mas a direção de arte impressiona. A junção com desenho sugere uma origem mais cartunesca. Pudera. A história dói de acompanhar, mas seus personagens são simpáticos. Com exceção do diretor e roteirista,a equipe inteira está empenhada. Especialmente os responsáveis pela maquiagem dos homens-canguru, que dão uma nova perspectiva sobre raça.


# Ascendance of a Bookworm

2023-11-20 tag_animes ^

Anime inspirado em uma light novel que virou também mangá. Ele é cheio de tramas construídas nas regras da sociedade da época, especialmente a relação da nobreza com a magia. Uma história com muito texto e pouca ilustração, lembra mais animações do finado Macromedia Flash.


# Roleta Russa

2023-11-20 tag_beer ^

A APA é dos piratas. É um amargo gostoso. Feita no sul, achei no mercadinho perto de casa. Peguei a IPA também. Só que essa não é dos piratas, mas das formigas. Bem mais amarga.


# 16 bit Sensation: Watashi to Minna ga Tsukutta Bishōjo Game

2023-11-20 tag_animes ^

Um anime de viagem no tempo saudosista sobre desenvolvimento de jogos de computador e reflexivo sobre a evolução das bishoujos, a pornografia de menininhas japonesas desenhadas como beldades. A dubladora da protagonista é o ponto forte. Ela é tão engraçada e espontânea que não importa muito o enredo. O anime resgata o finado PC-98, um computador pessoal japonês de mais sucesso regional até o Windows esmagar a concorrência.


# Um Convidado Bem Trapalhão

2023-11-20 tag_movies ^

Assistir ao The Party, uma comédia dos anos 60, deu aquela sensação de já ter visto esse filme. Eu não tenho certeza. O ponto é que alguns clássicos deixam na nossa retina impressões tão memoráveis que as próximas gerações copiam, ou são inspiradas de alguma forma. A questão é que mesmo não tendo visto de fato exatamente este filme, por ele ser antigo e tantas vezes visto e usado como referência, você pode ter captado fragmentos que reencarnaram em outros filmes sem relação alguma. Esse ano mesmo vi um filme na Mostra de SP que brincava com impressões não ideais em uma festa de casamento. A referência cinematográfica é algo que atravessa gerações e gêneros.

E este é um filme que representa bem o que quer que seja a definição de festa, em suas múltiplas camadas. Temos o começo e a sensação de não pertencer àquele ambiente, não saber o que dizer para aquelas pessoas. Não saber o que fazer quando te olham. Peter Sellers brilha nesse momento, ao construir de maneira icônica o que o diretor e roteirista Blake Edwards idealizou. É fácil se identificar com o personagem de Sellers, mesmo não sendo um indiano em meio a ricaços e celebridades americanas alheias ao seu desconforto. De uma maneira muito peculiar o humor está lá. É sutil o suficiente para nos fazer lembrar dos nossos próprios momentos de vergonha social. Ou pelo menos imaginarmos isso.

Depois o filme escala e vai se tornando maior que ele próprio. Você só percebe isso quando um elefante entra na sala de estar. É uma loucura a imaginação que este filme impulsiona. E tudo se mantém ainda dentro da proposta. Nunca o filme nos perde de vista. Ele apenas adora sua proposta e vai avançando. Nós vamos atrás. Sem dizer o clichê “a vida é uma festa” The Party faz melhor: ele cria sua própria festa para imprimir essa sensação nas nossas memórias. Não à toa penso já tê-lo visto. Nem que fosse em vidas passadas.


# Juan Valdez

2023-11-23 tag_coffee ^

Fiquei muito empolgado com a qualidade dos cafezes no QEmporio de Taubaté e acabei trazendo este café da Colômbia... só que em grãos. Ahá.

Ele é intenso e encorpado. Na embalagem está escrito: Fuerte. Faz sentido.

Também na embalagem está o motivo dele custar o olho da cara: a produção é 100% artesanal. Tem controle de origem e os caralho. E ele vende isso como uma produção feita para a comunidade de fazendeiros.

Mas é caro, mesmo. Não vale a pena pelo preço. Devia ter colocado de volta na gôndola.


<< >>